Palmeiras não queria, mas chega na final do Paulistão jogando o fino da bola contra o Corinthians

Time de Rony e Luiz Adriano atropela o Corinthians dentro de sua casa e ganha por 2 a 0, mas poderia ter sido de muito mais

Robson Morelli

16 de maio de 2021 | 18h25

Não podia ser melhor para o torcedor do Palmeiras. Ganhar do Corinthians por 2 a 0 dentro da casa do rival. Eliminar o adversário e ainda se garantir na final do Campeonato Paulista 2021, e pelo segundo ano consecutivo, uma vez que ganhou o torneio estadual na edição passada. O Palmeiras passou por cima do Corinthians sem tomar conhecimento. Fez dois e poderia ter feito mais dois ou três.

Foto: Palmeiras

O Corinthians teve boa chance num pênalti, mas Luan chutou na trave. Foi o confronto de um time treinado, preparado e com funções bem definidas com um adversário mal treinado, sem confiança e sem saber o que fazer no gramado, nem mesmo em sua casa. O Corinthians patinou na disputa. Deixou a impressão de que está, mesmo em maio, na estaca zero. Não mostrou jogadas, não mostrou coletivo, não mostrou condicionamento físico nem inteligência para atuar. É um time no alicerce.

O Palmeiras melhora com o carro andando. Tem elenco e reposições interessantes. Tem esquema e ideia de jogo. Tem opções dentro do campo. Todos parecem saber o que fazer. E isso nada tem a ver com o dinheiro do clube ou patrocínio da Crefisa ou qualquer condição fora do campo. Foi água e vinho.

Não sei se Mancini continuará no cargo para o Brasileirão, uma vez que o Corinthians já está eliminado do Paulista e da Sul-Americana. Foi um semestre de pouco proveito sob seu comando. Não há nada para se esperar desse Corinthians. Tomou quatro do Peñarol e agora dois do Palmeiras. Não há treinador que resista. Mancini não tem mais o comando nas mãos. Não consegue mais organizar a equipe. Tem e teve as melhores intenções, mas isso não basta. O carro não anda.

Foi uma decisão fácil para o Palmeiras, talvez como nunca antes em um confronto com o Corinthians, seu maior rival histórico. Em nenhum momento, os donos da casa se impuseram na partida. Pior. Deu ao rival o que ele tanto queria: campo para correr. E como correu Rony, capitaneado pela inteligência de Luiz Adriano. A dupla já é manjada. Mas o Corinthians deu de ombro para ela. Errou feio e perdeu a vaga.

OBS.: Uma hora após eu escrever que Mancini poderia ser demitido, o Corinthians demite o treinador. 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.