Palmeiras vai se livrando de jogadores ruins. E economiza, por baixo, R$ 185 mil

Robson Morelli

17 de julho de 2013 | 15h52

A semana tem sido produtiva no Palmeiras fora de campo. Enquanto o time se prepara para enfrentar o Figueirense e, quem sabe, pular para a ponta da tabela da Série B, a diretoria vai reduzindo despesas no futebol e colocando para correr jogadores que não deram certo. Dos 47 do elenco, 5 já fizeram as malas, o que não quer dizer que esses jogadores não darão certo em seus novos clubes. O futebol está repleto de histórias de atletas ‘pernas de pau’ em um time que arrebentaram em outro.

O melhor de tudo, no entanto, é saber que o presidente Paulo Nobre começa a mexer nesse vespeiro. E sem crise porque o time está bem na Série B, Valdivia voltou a jogar e o torcedor tem comparecido ao estádio.

Os cinco que deram linha foram: Emerson (Oeste de Itápolis), Leandro Amaro (Náutico), Tiago Real (Ponte Preta), Maikon Leite (Ponte Preta) e Luiz Gustavo (Ponte Preta). As negociações com o time de Campinas ainda não foram sacramentadas, mas caminha para ser. O Palmeiras , além de se livrar dos jogadores, ainda diminui a folha de pagamento.

Vamos as contas:
Emerson – cerca de R$ 20 mil mensais
Leandro Amaro – R$ 70 mil
Tiago Real – R$ 50 mil
Maikon Leite – R$ 200 mil
Luiz Gustavo – R$ 30 mil

Só nessa brincadeira, já são R$ 370 mil por mês. Como todos os jogadores saem por empréstimo, com aquele eterno sonho do clube de ter seu atleta valorizado e assim poder depois ganhar mais dinheiro, o Palmeiras terá de bancarde 40% a 60% do salário desses jogadores, mesmo sem usá-los. Se bancar metade, já se livra da outra metade, que daria R$ 185 mil por mês. Já é o começo.

Tudo o que sabemos sobre:

palmeiras

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.