Paulistão/2011: duro vai ser aguentar a primeira fase

Robson Morelli

27 de outubro de 2010 | 15h10

A fórmula do Paulistão de 2011 nasceu para privilegiar os grandes. Claro. Os 20 clubes jogam entre si na primeira fase. 19 partidas, portanto. Os oito melhores se classificam para a etapa de quartas de final, em jogo único. Dificilmente um grande não estará nesse bolo.

Na outra fase, perdeu, tchau. Em caso de empate nos 90 minutos, pênaltis. O perdedor dá adeus. E assim vai também na semifinal. Somente a decisão será em partidas de ida e volta. 

Digamos que a fase de mata-mata até é interessante, ma a primeira fase será uma enrolação, uma disputa arrastada dos 19 jogos. A Federação Paulista poderia adotar o sistema da Copa do Mundo. Uma primeira etapa de grupos e depois mata-mata. Tiro curto. Com essa fórmula poderia até ter mais times na disputa para que a conta desse certo. Sobrando data, faz a semifinal e a final em partidas de ida e volta. Seria tudo decisão então. A fórmula dos pontos corridos vale mais para o Brasileiro.

Outra mudança é a inclusão de dois auxiliares da arbitragem atrás dos gols, um de cada lado. Isso vai gerar mais pênaltis. Aquele agarra-agarra que o juiz nunca assume, passará a ser dedurado pelo novo auxiliar. E a bola vai para a marca da cal.

A FPF também tenta dar um basta na mudança de endereço dos clubes, ora numa cidade, ora noutra. Isso é uma vergonha. Vai estipular multa altíssima para quem deseja mudar de sede. Certíssima. Há ainda a questão dos estádio, sempre uma lástima, de gramados horrorosos. Outra vergonha. Se não tiver campo bom vira Desafio ao Galo.

O Paulista começa dia 16 de janeiro e vai até 15 de maio.
Veja a primeira rodada da competição:

Linense x Santos
Mogi Mirim x São Paulo
Corinthians x Portuguesa
Palmeiras x Botafogo
Noroeste x Santo Ándre
Guaratinguetá x Bragantino
São Bernardo x Grêmio Prudente
Mirassol x Ponte Preta
Paulista x Ituano
Oeste x São Caetano

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.