Paulo Nobre sabe que esse Palmeiras é para 2016

Por isso o presidente, não o torcedor, quer Marcelo Oliveira no comando da equipe

Robson Morelli

27 de outubro de 2015 | 15h57

Paulo Nobre pensa de duas maneiras o futuro do Palmeiras. Na primeira, veste a camisa de torcedor, e ajuda a atirar amendoim no técnico Marcelo Oliveira nesse momento. Com tudo o que investiu no elenco e no futebol, esperava mais. Está na mesma sintonia de boa parte dos torcedores, juntando-se também a alguns outros dirigentes, que andam insatisfeitos com os resultados. Para Nobre, o time poderia estar numa condição mais confortável no Brasileirão, embora esteja no páreo na Copa do Brasil.

GabrielJesusCesarGrecoDivulgacaoPalmeiras_511

O Paulo Nobre presidente analisa a situação com mais calma e menos emoção. Sabe que o elenco não é para esse ano e que Marcelo Oliveira está no caminho para fazer desse grupo um bom time, desses de mais ganhar do que perder, de dar alegria. Daí sua confiança no treinador. Paulo Nobre trabalha para 2016. O sonho da Libertadores é bastante real, sobretudo porque o time é igual a qualquer outro.

O problema desse elenco nesse momento é o nervosismo para decidir, para jogar partidas importantes, para se fazer impor dentro e fora de campo. Há bons jogadores, alguns ainda fora de forma, outros ‘eternamente’ machucados, mas quase todos bons de bola. Por isso que o presidente não pensa em mudar, principalmente de comando. Marcelo continua.

O único senão é seu amor pelo time e aí tomar a decisão com a camisa de torcedor. Ele garante que isso não vai acontecer, mesmo se o Palmeiras ficar sem a Libertadores.

Tudo o que sabemos sobre:

Palmeiras; futebol;

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.