Pior para o Jucilei

Robson Morelli

21 de fevereiro de 2011 | 15h13

A propósito, papelão esse do Jucilei, hein! O cara nem esquentou direito sua passagem pelo Corinthians é já se mandou para o promissor futebol russo. Quero ver se o Mano Menezes vai continuar convocando o jogador para a Seleção Brasileira. Nesse caso, acho que o clube foi mais refém da situação do que qualquer outra coisa. É bom pra a gente pensar no relacionamento que se forma já há algum tempo entre clube, empresário, patrocinador e jogador.

O empresário paga a conta por algum tempo. O clube aceita expôs o atleta na vitrine (no caso do Corinthians uma vitrine e tanto, como seria também em qualquer outro grande do Brasil) e tenta se valer dele o máximo possível. O patrocinador, que acaba sempre adquirindo uma fatia do contrato do jogador, também tem pressa para fazer negócio. E o jogador vai onde mandam. E também se rende fácil quando vê um caminhão de dinheiro à sua frente.

Desse quarteto, a corda sempre vai arrebentar do lado do jogador e do clube. No caso, Corinthians e Jucilei. O negócio só azeda quando o jogador bate no peito e diz que não quer ser vendido, o que Jucilei não fez. E cá entre nós hein, estamos falando de Jucilei. Um volante esforçado e mais nada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.