Polícia, enfim, faz cerco aos torcedores corintianos e leva 13 para a cadeia

Robson Morelli

20 de fevereiro de 2014 | 12h41

Demorou, mas aconteceu. Todos que imaginavam que a invasão corintiana ao CT do clube, semanas atrás, fosse acabar em pizza quebrou a cara. A polícia trabalhou em silêncio nessas três últimas semanas e fez o cerco na manhã desta quinta-feira ao torcedores das organizadas. 13 foram para o camburão. Seis foram fichados e depois soltos. Três estão presos depois de ter a ‘capivara’ levantada. E os outros ainda serão checados.

O fato é que a Polícia e o Corinthians não vão deixar passar em branco. Pelo menos prometem isso. Essa blitz precisa ser uma constante e será de agora em diante nos redutos das torcidas organizadas de São Paulo. A polícia desconfia que de anos para cá, criminosos, traficantes e outros ilegais se juntaram às uniformizadas de seus clubes, ou de qualquer outro, para se esconder e se misturar.

Os líderes das organizadas sempre garantem que os arruaceiros não são de suas torcidas. É claro que isso não é bem assim. Sabemos o que essa turma é capaz. Ocorre que a polícia acredita que poderá encontrar muitos procurados nas organizadas de São Paulo. E esse cerco não deverá parar. O episódio que aconteceu no CT do Corinthians serviu de estopim para que ações como essas fossem encaminhadas.

Há uma grita generalizada contra esses torcedores. Nem os clubes aguentam mais tamanhas ousadias. O torcedor comum nem se fala. Os estádios não são mais lugares para gente do bem. Há medo e revolta diante dessa gente. Isso precisa acabar.

[poll id=”110″]

Tudo o que sabemos sobre:

corinthians; torcida organizada; futebol

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.