Quatro pontos que poderão fazer falta ao Palmeiras neste Brasileirão

Quatro pontos que poderão fazer falta ao Palmeiras neste Brasileirão

Empates com Cruzeiro e Corinthians, ocorridos no último minuto, tiram do time de Dorival Junior uma condição mais tranquila na tabela

Robson Morelli

27 de outubro de 2014 | 14h20

DorivalJuniorPlameirasLeandroMartinsFuturaPress_570

Empatar com Cruzeiro e Corinthians seriam bons resultados para o Palmeiras não fosse a fatalidade, para alguns bobeira, de o time de Dorival Júnior sofrer gols aos 45 minutos do segundo tempo. Para o amante do futebol e seguidor frequente de seu time, não pode haver frustração maior que essa, sobretudo quando os pontos se fazem tão preciosos nesse momento. Foi o que aconteceu com o Palmeiras nessas duas partidas.

O time vencia por 1 a 0 e amargou empates nos acréscimos do árbitro. Não perdeu, é verdade, mas também deixou de ganhar. Deixou que a vitória lhe escapasse entre as mãos. Seriam quatro pontos importantes para mandar o Palmeiras para mais longe da zona de rebaixamento.

O Palmeiras ocupa a 14ª posição do Campeonato Brasileiro, com 36 pontos. Com os quatro que deixou de somar, poderia ter 40. Atlético-PR e Flamengo têm 40 pontos e ocupam as 10ª e 11ª colocações, respectivamente. Ou seja, o Palmeiras poderia figurar na parte de cima da tabela, entre os dez primeiros, porque teria 12 vitórias, uma a mais do que os concorrentes com 40 pontos também.

Isso mudaria tudo no Palmeiras, de sua continuidade no torneio ao início de um planejamento para 2015. Dorival Junior sabe que precisa trabalhar nas suas frentes, salvar o Palmeiras do rebaixamento e pensar numa equipe mais forte e competitiva no ano que vem. Se isso não começar a ser executado agora, certamente os ‘reforços’ serão mais ‘refugos’ do que propriamente jogadores capazes de deixar a equipe mais sólida.

APROVADO

De bom nesse caminha dos últimos passos, a escolha de Dorival Junior parece ter sido acertada pela diretoria do clube. O treinador tem montado boas estratégias para somar pontos e, o mais importante, elas têm dado certo. Ele abusa quando fala que somente o Cruzeiro é melhor do que o Palmeiras, mas isso é para dar confiança ao elenco nessas partidas qua ainda faltam ao time. O Palmeiras, diga-se, não tem folga nem pode baixar a guarda porque ainda tem o pescoço ameaçado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.