Responsabilidade é de quem organiza a Libertadores, da senhora Conmebol, que faz acordo pra tudo

Responsabilidade é de quem organiza a Libertadores, da senhora Conmebol, que faz acordo pra tudo

River deveria pagar caro pela confusão de seus torcedores, que detonaram o ônibus do Boca Juniors e feriram jogadores

Robson Morelli

24 de novembro de 2018 | 18h22

As cenas lamentáveis nos arredores do estádio Monumental de Nuñez, que receberia mais cedo a decisão da Libertadores entre os donos da casa, o River Plate, e seu maior rival, o Boca Juniors, só confirmam a falta de competência da Conmebol para a organização do clássico. De quebra, da AFA, a Federação Argentina de Futebol, que também deveria ajudar nesse trabalho, com sua experiência e no que significa um jogo deste tamanho no país, falhou. Todo mundo sabia que poderia ter confusão mesmo com apenas torcedores do River Plate convocados. Lá, como aqui, grandes jogos e de riscos têm torcida única.

Ora, talvez a partida de ida em La Bombonera tenha feito com que a senhora Conmebol não tratasse o jogo da volta com a devida atenção. O que aconteceu, além de total selvageria dos seguidores do River, é fruto de má gestão e competência. Como o ônibus do Boca Juniors, desenhado com as cores do clube e de sua bandeira, poderia passar em meio aos torcedores adversários? Uma chuva de pedras e garrafas quebrou muitas vidraças do ônibus e feriu alguns jogadores, também prejudicados com o uso de gás de pimenta, não se sabe se da polícia ou dos próprios torcedores do River.

O fato é que os jogadores do Boca passaram mal, nem todos, e não queriam jogar. Estavam no seu direito. A Conmebol é aquela entidade que faz acordo com todo mundo para resolver os problemas e seus dirigentes não têm a menor condição de tocar esse negócio chamado futebol. Futebol sério. São ainda amadores, que vão se enriquecendo com os anos, conforme denúncias e prisões nos últimos anos. Prova disso são essas imagens lamentáveis que correm o mundo em uma final de Libertadores. Um fracasso. Enquanto essas entidades não forem povoadas com gente competente, isso não vai mudar nunca. Chega de dizer que o clima da libertadores é esse mesmo, de pancadaria e dedo no olho.

IMBECIS

Mas a incompetência da Conmebol, e de seus pares, não pode também tirar a responsabilidade dos torcedores do River Plate. Que mau exemplo! Se o futebol é realmente tão importante para esses caras, eles deveriam ser os primeiros a seguir as regras, a tratar o rival com respeito porque esse rival é que faz o seu time importante e gigante. Sem os grandes adversários, nenhum time é melhor do que outro. Essa intolerância no futebol já passou dos limites, tanto na Argentina quanto no Brasil. Aclamado será aquele que conseguir acabar com esse problema, ou levar as regras da competição e do futebol mais seriamente, com amor e respeito.

Por mim, o River deveria ser excluído da Libertadores pelos próximos três anos. Por mim, a Fifa deveria interferir na Conmebol, mas a Fifa também não tem muito moral para isso. Ocorre que as Copa do Mundo são bem organizadas em seus jogos. Nos 64 jogos. Essa organização deveria ser levada para suas federações afiliadas, de modo a fazer com que elas conseguissem organizar ao menos um grande final.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.