Ceni desafia o tempo e a aposentadoria

Ceni desafia o tempo e a aposentadoria

Aos 42 anos, o goleiro abusa da categoria contra o Santos, na Vila

Robson Morelli

12 de fevereiro de 2015 | 15h09

Ceni em defesa na Vila Belmiro

Ceni em defesa na Vila Belmiro

O goleiro do São Paulo tem 42 anos. Para o futebol, Rogério Ceni poderia ser chamado de vovô. Certamente quando ele já fazia boas defesas com a camisa do São Paulo, a única que vestiu, muitos jogadores do time ainda não tinham sequer nascidos, ou estavam nas fraldas. Ocorre que Ceni colocou na cabeça que enquanto estiver em campo, vai fazer o seu melhor, não vai entregar os pontos nos treinamentos, muito menos deixar que o torcedor perceba sua idade.

E quem viu o clássico na Vila Belmiro nesta quarta-feira teve a exata noção do que isso significa. Ceni desafia o tempo e a aposentadoria, embora já tenha admitido que este ano será seu último em atividade. Para não ficar para trás entre os colegas, sobretudo em respeito aos reservas, treina mais que todos, toma parte das férias para fazer com que o corpanzil suporte o tranco e ainda tenha agilidade.

O resultado desse trabalho foi uma série de defesas importantes contra o Santos, praticamente garantindo que o adversário, em sua casa, não ganhasse o jogo.

Tudo o que sabemos sobre:

São Paulo FC; futebol; Rogério Ceni

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: