Ronaldinho vira piada: ama o Grêmio, quer morar no Rio (base do Fla) e receber do Palmeiras

Robson Morelli

07 de janeiro de 2011 | 16h46

Esperava-se que Ronaldinho Gaúcho fosse aunciar seu clube no Brasil na entrevista que ele mesmo marcou no Rio. Nada aconteceu, no entanto. A única notícia foi sua liberação do Milan, informação que o Guto (Luís Augusto Monaco), do JT, já havia dado há um tempão – em contato direto com Adriano Galliani, do Milan. 

A piada da hora é que Ronaldinho morre de amores pelo Grêmio, quer morar no Rio (base do Flamengo) e sonha receber seu salário do Palmeiras (R$ 1,3 milhão por mês). 

Ocorre que a temporada já começou e depois o atleta fica fora de forma até o meio do ano, sempre com a desculpa de que não fez a pré-temporada com o elenco. Sei que o Gaúcho estava treinando na Itália e participando das partidas do seu time. Mas a desculpas é recorrente no futebol brasileiro.

O caso de Ronaldinho é o mesmo de Ronaldo: paga-se mundos e fundos pela qualidade do jogador, mas é preciso cobrar profissionalismo, exemplo, disposição e envolvimento. Tomara que ele, e seu irmão-empresário Assis, faça logo sua escolha, seja ela qual for. O futebol brasileiro só tem a ganhar com ele no gramado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.