Santistas começam a ter medo da Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro

Time está na 17.ª colocação, na zona de rebaixamento, com 18 pontos em 18 jogos

Robson Morelli

15 Agosto 2018 | 11h02

A 17.ª colocação no Campeonato Brasileiro, dentro da zona de rebaixamento, começa a assustar alguns santistas de coração. O medo de cair para a Segundona já apavora. Trata-se de um sentimento que os santistas nunca sentiram, nem com Pelé nem depois dele. O medo recente não tem a ver apenas com a posição do time na tabela – 18 pontos em 18 jogos. Mas com sua qualidade dentro de campo, mesmo a despeito de ter alguns bons jogadores no elenco. O garoto Rodrygo é um deles. Menino ainda, já vendido ao Real Madrid, mas ainda um menino, tem ajudado como pode. Tem ainda Gabigol, que voltou fracassado da Europa e ainda não conseguiu se reencontrar com o bom futebol de quando partiu. Também é um menino, mais rodado, mais ainda um menino.

O restante do elenco não é bom. Por isso que a ameaça de rebaixamento existe, de fato. São jogadores que estão na Vila Belmiro há algum tempo e não mostraram quase nada para permanecer. Vivem de fases ou momentos interessantes, mas não conseguem emplacar uma sequência de boas partidas. Desse modo, depois da demissão de Jair Ventura, a grande aposta é em Cuca.

Sim, o treinador foi contratado para impedir a queda do Santos, como se jogasse e corresse os 90 minutos. Cuca é o que o Santos tem de melhor, incluindo a direção do clube. Terá também de se provar porque fez um trabalho ruim no Palmeiras em sua segunda passagem. Humildemente, terá de começar de trás para frente. Fechar a defesa, jogar com mais consistência no setor, fazer o simples e dar tranquilidade aos jogadores da posição. O São Paulo, líder do Brasileiro, passou por isso e começou do mesmo ponto.

Ocorre que o São Paulo tinha bom elenco. O Santos não tem. Mas não é pior do que muitos times da Séria A. Depois da defesa, tem de mexer no meio de campo. Precisa de dois volantes para ajudar a defesa. Carece de um meia armador. Tem os jogadores estrangeiros que não foram inscritos na Copa do Brasil, mas que podem ajudar o time no restante da temporada. E aí Cuca solta seus homens de frente, Rodrygo e Gabigol para atuarem livres, sem tantas amarras. Dando confiança a eles, principalmente a Gabriel. O Santos então tem jeito. Preciso de treino e humildade. Precisa de mais inteligência e pés no chão. Esse time é para se salvar nos próximos quatro meses. Não é para mais nada.

Mais conteúdo sobre:

Santos FCfutebolCuca