São Paulo agora vai passar por uma ‘depressão’ perigosa no Brasileiro

Robson Morelli

14 de julho de 2016 | 11h24

O enredo de times brasileiros que caem em competições importantes, em que apostam alto na temporada, como é o caso do São Paulo, eliminado da Libertadores, é passar por um período de depressão, ressaca do que não conseguiu conquistar. A equipe do Morumbi vai viver esse período a partir de agora e precisa ter forças para reagir o mais rapidamente possível, com risco de amargar novas derrotas e descer a ladeira do Campeonato Brasileiro. Em seu calendário nesse segundo semestre ainda há a Copa do Brasil, em fases mais adiantadas.

luganoEstadao1_570

Pior. O São Paulo vai perder dois pilares, e tem a possibilidade de ficar sem treinador, Edgardo Bauza, que sonha com a seleção argentina. Patón já disse que se interessa pelo cargo que era de Tata Martino. Ocorre que a Confederação Argentina de Futebol (AFA) está ‘sem comando’, com problemas de credibilidade e intervenção da Fifa e até do governo local e não se sabe ao certo o que vai acontecer por lá. O fato é que os principais nomes para ocupar o posto, como Simeone, estão com vínculos mais fortalecidos em seus respectivos clubes e não admitem sequer fazer parte da atual gestão da AFA. Se pintar o convite, Bauza vai analisar, o que já enfraquece seus laços com o Tricolor. O que não quer dizer que vá aceitar.

Baixas certas ou quase certas, são as de Ganso e Calleri. O primeiro, principal jogador do time, está de malas prontas para a Espanha, para atuar no Sevilla. Ele quer, o Sevilla quer e o São Paulo não tem como segurar, mas exige um pagamento na ordem de R$ 18 milhões – R$ 2 milhões a mais do que já tem nas mãos. Vale lembrar que o São Paulo pagou R$ 16 milhões para ter 32% dos direitos do contrato. E quer agora uma compensação.

O outro pilar a dar adeus e Calleri, bom atacante argentino, envolvido com a equipe e seu trabalho mesmo sabendo que não ficaria mais do que o combinado. Fez nove gols na Libertadores. “Sim, foi minha última partida pelo São Paulo”, disse, sem meias palavras, pronto para ganhar a Europa. Calleri certamente terá o reconhecimento do torcedor do São Paulo e de todos os seus dirigentes sempre que voltar ao Brasil.

BRASILEIRÃO
O time ocupa a 8ª posição, com 21 pontos – oito atrás do líder Palmeiras e dois do Santos, o quarto colocado do G-4. A depressão, se durar muito, pode empurrar a equipe para baixo, como aconteceu com Grêmio e Atlético-MG, para citar dois, que passaram pelo mesmo problema na mesma competição. As duas equipes perderam o eixo após o fracasso na Libertadores deste ano, e tiveram de remar muito para se recolocar na temporada. Com 14 rodadas passadas, o São Paulo tem menos tempo para recuperar o fôlego, repor ausências e voltar seu foco para o Nacional. O próximo jogo já é domingo, contra o Corinthians, no Itaquerão. Vale lembrar que o time já perdeu quatro vezes na casa corintiana.

Tudo o que sabemos sobre:

São Paulo fc; futebol; são paulo;

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.