Se não ligou por que então falou?

Robson Morelli

24 de setembro de 2009 | 22h27

O presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, disse ontem na Band que não ligou para o presidente da Comissão de Arbiragem da CBF, Sergio Correa, para reclamar da escolha do árbitro Evandro Roman para apitar a partida contra o Cruzeiro, na quarta. Disse que apenas mandou um e-mail para o Sérgio. Não foi isso que o dirigente afirmou na USP, em palestra para estudantes segunda-feira. “Fiquei uma hora no telefone com o presidente da Comissão de Arbitragem para reclamar do Roman.” É legítimo ‘avisar’ representantes legais que determinada situação pode prejudicar o bom andamento de uma partida. Foi isso que Belluzzo fez. Não incluiu nem excluiu Roman. Disse apenas o que pensava na condição de presidente do Palmeiras, um clube envolvido na partida. Ganhou o jogo por 2 a 1. Admitiu que Roman não marcou um pênalti contra o Palmeiras, de Wendel em Fabrício no primeiro tempo e disse que os demais lances polêmicos foram polêmicos mesmo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.