Sem medo e receio das divididas nos treinamentos da seleção

Robson Morelli

29 de maio de 2014 | 16h32

Da Granja Comary

No primeiro coletivo do time de Felipão na Granja Comary, além da definição da seleção que deverá estrear na Copa do Mundo contra a Croácia, o que se viu foram algumas jogadas duras e divididas ríspidas. Como foi o primeiro trabalho desse tipo, houve muitas desculpas entre os jogadores por parte dos que abusaram das entradas firmes e aceitação de desculpas dos que foram atingidos.

Felipão acompanhou a tudo atentamente, sem medo ou receio de perder atletas importantes. Até agora o Brasil, diferentemente de seus adversários no Mundial, ainda não sofreu nenhuma baixa. É preciso bater na madeira três vezes para que isso não aconteça. Ocorre que Felipão disse à Bandeirantes que não vai pedir para que seus jogadores tirem o pé nas divididas. Ele reconhece que o risco de contusão existe, sobretudo porque esses jogadores têm muito vigor físico e estão com bastante vontade de jogar e disputar todas as bolas. “Mas não vamos tirar o pé. Nem há como fazer isso”, disse o treinador, que na quarta-feira apareceu no mídia center da Granja Comary para um bate-papo com os jornalistas, mas que logo se afastou porque se sentiu pressionado pelos microfones e câmeras. Felipão queria apenas jogar conversa fora.

A seleção escalada por ele neste primeiro treino coletivo não apresentou surpresas, apenas confirmou suas apostas. O time é o mesmo que ganhou a Copa das Confederações. Anote aí:
Julio Cesar
Daniel Alves
Thiago Silva
David Luiz
Marcelo
Luiz Gustavo
Paulinho
Oscar
Hulk
Fred
Neymar

Tudo o que sabemos sobre:

Neymarseleção brasileira; felipão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: