Times argentinos são melhores do que os times brasileiros. Vimos isso esta semana

Times argentinos são melhores do que os times brasileiros. Vimos isso esta semana

Talleres e Racing engoliram São Paulo e Corinthians, respectivamente

Robson Morelli

15 de fevereiro de 2019 | 17h22

Dois jogos de equipes brasileiras de primeira linha contra dois rivais argentinos de nível intermediário nos abrem os olhos para uma triste e dura constatação: “Eles são melhores do que nós”. O São Paulo sucumbiu diante do até então desconhecido Talleres, se não tão desconhecido assim, um time, sem dúvida, de nível inferior ao do Morumbi, em todos os sentidos, de sua história e conquistas, à estrutura e qualidade de jogadores. Pois digo, e os resultados me confirmam, que o Talleres foi melhor do que o São Paulo nas duas partidas. Tanto foi que ficou com a vaga na Libertadores.

Da mesma forma que vi nesta quinta-feira um Racing mais bem organizado do que o Corinthians, mais bem posicionado em campo, com bom toque de bola e poder de fogo mesmo dentro da casa do rival, em Itaquera. Jogou sem medo. O Corinthians melhorou no segundo tempo, mas ainda carece de tempo. Love está como Hernanes, do São Paulo: tem boa vontade, mas a bola ainda lhe escapa, corre errado, perde o domínio e o raciocínio. Isso com o tempo vai melhorar. Pedrinho deveria ter entrado mais cedo no jogo. E Gustavo vive fase muito boa. Salvou o time de novo. Essa o Corinthians deve ao trabalho de Rogério Ceni no Fortaleza, que resgatou o cara – durante o jogo, ele foi elogiado por José Mourinho, técnico português que estava comentando a partida.

Resumindo, na boa, os argentinos que vieram para o Brasil nesta semana deram um show de bola em cima da gente. Já haviam feito isso na Libertadores passada, mas eram River Plate e Boca Juniors. Agora, foram Racing e Talleres.

Tudo o que sabemos sobre:

futebolSão Paulo FCCorinthians

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.