Tite expõe suas dúvidas na lista final para a Copa da Rússia

Brasil se despede das Eliminatórias contra o Chile, no Allianz Parque, em São Paulo

Robson Morelli

15 de setembro de 2017 | 11h44

A convocação do atacante Diego Tardelli, que atua na China, demonstra a tamanho das incertezas de Tite para a posição. O treinador apela para o jogador que apareceu lá atrás na seleção, mas se escondeu no futebol chinês e saiu, por tempos, da mira da seleção. Taison era o atacante do chamamento anterior. Não está na lista desta sexta-feira para os jogos contra Bolívia e Chile, em outubro, os últimos das Eliminatórias Sul-Americanas. São os últimos passos para a Rússia. Roberto Firmino, Gabriel Jesus e Neymar são os outros homens de frente escolhidos, e eles me parecem com vagas asseguradas para o Mundial. Há uma quarta vaga em aberto. Esta roda na cabeça do treinador. Não tem dono.

Técnico Tite, técnico da seleção brasileira. AFP PHOTO / DANTE FERNANDEZ

“Tardelli tem uma história na seleção brasileira”, justificou o treinador para ter optado pelo atacante do Shandong Luneng. Disse que ele joga por dentro e por fora, pelo meio e mais aberto. Negou que o grupo esteja fechado. E não falaria isso jamais. Ele monitora pouco mais de 50 jogadores. Não chega a 60. É deste grupo que sairá os 23 da Copa. A decisão amadurece a cada dia vencido em direção à Rússia. Talvez Tite tenha de tomar sua decisão mais dura desde que assumiu o comando da seleção. A escolha. Ele trabalhou com os melhores jogadores na sua concepção, sempre. Motivou a todos e agora terá de excluir a maioria. Cortar da própria carne. Tite odeia isso.

Tite se preocupa com o que dizer para seus jogadores. Corrói por dentro ter de falar ‘não’ para a maioria. Essa experiência ele nunca teve. Nos clubes, o elenco é único, muda em função de vendas pontuais, contusões e suspensões. Mas nunca, ou quase nunca, por escolha. Todos nos clubes, de alguma forma ou de outra, acabam jogando. Mas só os melhores vão para uma Copa do Mundo.

Outro nome que aparece agora na lista de Tite e me parece bastante fortalecido é o de Diego, do Flamengo. O treinador resumiu a escolha dizendo que Diego veste a camisa da seleção e não sente o peso dela, o peso de ter ganho cinco campeonatos mundiais. Digo mais: Diego é inteligente em campo, paciente, tranquilo, sabe mudar a direção da bola, recua e avança na mesma passada, e cobra faltas. Além de Neymar, um pouco Willian, o Brasil não tem um exímio cobrador de falta. Sim, sou fã de Diego. Mas ele também tem feito por merecer esta convocação.

A LISTA
Abaixo um entendimento meu dos que vão para a Copa, salvo contusões nesta reta final

Atacantes
Roberto Firmino (Liverpool) – Vai para a Copa
Diego Tardelli (Shandong Luneng) – É dúvida
Gabriel Jesus (Manchester City) – Vai para a Copa
Neymar (PSG) – Vai para a Copa

Meias
Casemiro (Real Madrid) – Vai para a Copa
Paulinho (Barcelona) – Vai para a Copa
Fernandinho (Manchester City) – Vai para a Copa
Philippe Coutinho (Liverpool) – Vai para a Copa
Renato Augusto (Beijing Guoan) – Vai para a Copa
Willian (Chelsea) – Vai para a Copa
Diego (Flamengo) – Vai para a Copa
Arthur (Grêmio) – É dúvida

Zagueiros
Miranda (Inter de Milão) – Vai para a Copa
Marquinhos (PSG) – Vai para a Copa
Thiago Silva (PSG) – Vai para a Copa
Jemerson (Monaco) – É dúvida

Laterais
Daniel Alves (PSG) – Vai para a Copa
Danilo (Manchetser City) – É dúvida
Filipe Luís (Atlético de Madri) – Vai para a Copa
Marcelo (Real Madrid) – Vai para a Copa

Goleiros
Cássio (Corinthians) – Vai para a Copa
Alisson (Roma) – Vai para a Copa
Ederson (Manchester City) – Vai para a Copa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.