Uma breve indicação do que pode acontecer com os times do Brasileirão 2020

Uma aposta de quem pode se dar bem pelo que mostrou na atual competição nacional

Robson Morelli

09 de dezembro de 2019 | 11h56

Virar o ano é sinônimo de renovação das esperanças no futebol, como na vida. Dos 20 times que disputarão o Campeonato Brasileiro 2020, arrisco a fazer algumas previsões em cima do que eles demonstraram na temporada que se encerrou domingo, consagrando o Flamengo campeão. Não seria demais, portanto, supor que o time carioca continua sua pegada forte em direção aos títulos. Neste ano, ficou com a Libertadores e o Brasileiro, e ainda tem o Mundial de Clubes da Fifa. Arisco alguns caminhos para os 20 clubes da Série A, lembrando que o Cruzeiro não faz mais parte desse grupo. Pelo menos não na próxima temporada. O time mineiro terá de disputar a Segundona.

FLAMENGO
Com ou sem o técnico Jorge Jesus (todos esperam que ele fique), o elenco do Flamengo se encontrou, deu certo, seu liga. Há bons jogadores em todas as posições, com alguns no banco de reserva. O clube pode perder atleta para a Europa, como Gabigol, mas isso certamente, se acontecer, será reposto à altura. Dizem de Diego Costa poderia ser repatriado. O Flamengo não deve perder seu entrosamento e entusiasmo dentro de campo. É candidato a ganhar mais em 2020.

SANTOS
O elenco é modesto, apesar de alguns bons jogadores, como Sánchez e Soteldo. Todo mundo no clube sabe que precisa de reforços pontuais. O que não se sabe é se o presidente Peres terá dinheiro para tanto. Tudo na Vila também passa pela permanência de Jorge Sampaoli. Ele é a chama desse grupo. Sua saída, como se espera, recolocaria o Santos na estaca zero. E olha que o time terminou o Brasileiro na segunda posição. Com o treinador, o Santos continuará forte. Sem ele, perde fôlego.

PALMEIRAS
Sem técnico, sem dirigente de futebol e com um elenco que precisa ser peneirado. Esse é o Palmeiras que termina a temporada. Poucos acreditam no time do jeito que ele está, ou trazendo alguns vícios do passado recente. O presidente Galiotte prometeu mudar tudo, resgatar outro tipo de jogo, quem sabe dos tempos da Academia, mas há um caminho a ser percorrido. Tudo passa também pela escolha do treinador. Pode ser Sampaoli. Mas há a necessidade de repor peças. Do elenco, o torcedor só tem olhos para Dudu.

GRÊMIO
Os bons jogadores do time não estiveram bem no Brasileirão. O clube, com aval do técnico Renato Gaúcho, preferiu apostar suas fichas na Libertadores e Copa do Brasil, e quando caiu, não teve fôlego nem tempo para se recuperar. Ficou ainda na quarta posição. Renato não deu certeza de sua permanência. Penso que seu ciclo já deu no Grêmio. Precisa mudar. Aí não vejo o elenco com forças para ganhar facilmente as competições de 2020. Terá de remar muito para se dar bem além do Rio Grande do Sul.

ATHLETICO-PR
O time é redondo, não perdeu forças depois da conquista da Copa do Brasil. Isso é bom porque perdeu o técnico Tiago Nunes, agora no Corinthians. Carece de elenco. Terá uma agenda cheia em 2020, inclusive com a Libertadores. Não vai conseguir ser forte em tudo, mas é um dos clubes mais bem organizado do Brasil. Se não perder tudo isso, é candidato a fazer boa temporada, sempre na parte de cima das competições. É forte no mata-mata em casa. Os rivais sabem disso.

SÃO PAULO
Há muito a se fazer no Morumbi. Trabalho não falta. A dúvida é se as pessoas são as mais indicadas para tocar isso em 2020. O São Paulo não se acerta há anos. Precisa ganhar. Há uma necessidade de levar título. Se for pesado, melhor ainda. Fernando Diniz é questionado. Ele está demorando demais para dar uma cara competitiva ao time. Haverá dispensas no elenco. Há alguns medalhões perdidos no clube, como Pato e Hernanes. Eles precisam reagir. Tomara o São Paulo não venda seus garotos. O sucesso do time depende deles. Eu apostaria em conquistas em 2020.

INTERNACIONAL
O time ficou velho. E tem um treinador comum, Zé Ricardo. A diretoria se perdeu nas mudanças propostas durante o ano e ficou pelo caminho. Não vejo forças nesse Internacional. O elenco precisa de sangue novo, de alguns atletas de maior peso. É favorito somente no Rio Grande do Sul.

CORINTHIANS
É um ano para se esquecer. Enterrar. Tirar poucas coisas boas da temporada. Mas há esperanças. Tiago Nunes é um bom treinador, revelação deste ano. Sabe o que faz com elencos modestos. Ele foi o arquiteto da conquista do Athletico-PR na Copa do Brasil. Vai ter de começar do zero. Plantar em terra árida. O elenco preciso mudar. Jogadores devem deixar o clube. Muitos jogadores. O Corinthians não tem dinheiro e terá de equacionar esse problema. Reforçar o time sem ter tanto dinheiro assim. Ainda tem o estádio para bancar. O Corinthians é sempre forte em São Paulo e ganha força com sua torcida em Itaquera. Mas não vejo um time candidato a levantar taça em 2020.

FORTALEZA
O time é apenas razoável, mas tem um treinador, Rogério Ceni, que se identificou com o grupo e com o clube. É seu segredo. Ceni consegue tirar o melhor de cada jogador. Se tiver um ou dois reforços diferentes, acredito em melhor sorte do time cearense. Não fosse a aventura do técnico no rebaixado Cruzeiro, o Fortaleza teria avançado na tabela. Terminou em novo. A torcida fez bonito neste ano e vai repetir a dose. É um dos melhores do Nordeste e não deve a muitos times mais tradicionais, os chamados grandes.

BAHIA
Também ganhou com Roger Machado uma cara interessante. Pecou na reta final do Brasileiro desde ano e perdeu fôlego. O que é normal para um elenco reduzido e não muito brilhante. Mas ganhou confiança e vai ser um rival osso duro em 2020. Precisa de peças para ser forte. Pode se beneficiar de jogadores importantes do eixo São Paulo-Rio que serão colocados no mercado. Não tem muito dinheiro para ir às compras, mas tem uma diretoria mais inteligente do que a maioria. Sabe fazer barulho.

VASCO
Vai ter melhor sorte já no Estadual de 2020. É o segundo melhor time do Rio, atrás do Flamengo. Pode não parecer muito, mas teve uma boa recuperação neste ano. Há alguns segredos. Luxemburgo é um deles. O treinador não quer sair de São Januário. Ótimo para o Vasco. Tem alguns bons jogadores, como Talles Magno. Preciso de dinheiro, mas ganhou um alento da torcida, de sócios-torcedores. De mais. Saltou de 30 mil para 170 mil. Isso representa dinheiro em caixa. Precisa, claro, de melhores jogadores do ataque e no meio. E pagar seus salários. Time nenhum sobrevive devendo. Vai dar o que falar se não tomar caminhos tortos.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.