Uma quinta-feira maluca no futebol brasileiro, com demissão de técnicos, brigas em campo, goleadas…

Uma quinta-feira maluca no futebol brasileiro, com demissão de técnicos, brigas em campo, goleadas…

O pior momento foi a discussão entre Oswaldo de Oliveira e Ganso, ambos do Fluminense. O meia foi chamado de "vagabundo". O técnico, de "burro"

Robson Morelli

27 de setembro de 2019 | 10h14

 

O futebol brasileiro viveu uma quinta-feira diferente, maluca até. Fazia tempo que tanta coisa importante não acontecia no mesmo dia. Teve demissão de treinador de dois clubes grandes, contratação de outro, briga de técnico e jogador do mesmo time e até goleadas em partidas do Brasileirão. O dia foi quente. Se você perdeu algumas dessas coisas, segue aqui a lista dos fatos marcantes desse dia maluco.

1 – Demissão de Cuca
O treinador não suportou a derrota de 1 a 0 para o Goiás e pediu as contas no São Paulo. Cuca foi xingado pela torcida e disse ter ficado muito bravo com isso. Foi chamado de “cabelo de boneca” e não gostou. Pediu demissão sem olhar para trás. Ele admitiu não ter conseguido fazer o time jogar. Não pode ser o único responsabilizado pelo fracasso. Há jogadores, como Daniel Alves, que estão devendo. O ambiente no vestiário não dever ser dos melhores. O time volta à estaca zero.

2 – São Paulo anuncia Fernando Diniz
Cuca nem bem esfriou e o clube tratou de trabalhar rápido para anunciar Fernando Diniz, que estava no Fluminense antes de ser demitido. Ele aceitou na hora o posto e hoje assume o time, que joga nesta sábado contra o Flamengo, no Rio. Vai ser seu melhor elenco desde que se tornou treinador. Suas ideias são boas, mas os resultados ainda não aconteceram na carreira. É um grande ponto de interrogação ainda. Mais um treinador que sai, mais um treinador que chega.

3 – Rogério Ceni cai em Minas
Quem também comprou briga que não podia ganhar foi Rogério Ceni, demitido do Cruzeiro. Durou bem pouco, dois meses, oito jogos. Ele chegou como grande aposta, mas não teve jogo de cintura para comandar o vestiário. Brigou e afastou jogadores graduados, como Thiago Neves. Perdeu o braço de ferro. Dedé e outros saíram em defesa do camisa 10, e Ceni caiu. O time está em posição desconfortável no Brasileirão. Mais uma vez o técnico fracassa. Ocorreu no São Paulo e agora no Cruzeiro. Faltou a Ceni mais habilidade no vestiário. Isso não se compra na farmácia. Nesta sexta-, o time mineiro fechou com Abel Braga.

4 – No Rio, bate-boca de Oswaldo e Ganso
Nada, no entanto, se comparou ao bate-boca do técnico Oswaldo de Oliveira com o meia Ganso, ambos do Fluminense, no empate por 1 a 1 com o Santos no Maracanã. O treinador foi chamado de “burro” pelo atleta na beira do gramado, quando foi trocado. Oswaldo não se conteve e chamou Ganso de “vagabundo”. Depois, conversaram e vieram com um papo de que tudo estava resolvido. Não está. O Fluminense amarga as últimas colocações no Brasileirão. E o clima é péssimo, para lá de azedo nas Laranjeiras. As informações desta sexta, ainda não confirmadas oficialmente, é que Oswaldo será demitido. Antes das 13h, no entanto, o Flu informou a demissão de seu treinador. Oswaldo de Oliveira está fora.

5 – Goleada do Palmeiras
Mano Menezes, que não via seu Cruzeiro fazendo gols antes de cair, não para de ganhar no Palmeiras, seu novo time. Emplacou a quinta vitória seguida no comando da equipe. E, diante do CSA, do técnico Argel, a equipe fez 6 a 2 no Pacaembu. Só não fez dez porque Luiz Adriano perdeu alguns gols. E o Palmeiras ainda teve chance de fazer outros mais. Foi um passeio. O torcedor ficou entusiasmado. Com Felipão, não era assim. O time manteve sua perseguição ao líder Flamengo. A diferença continua de três pontos.

6 – Grêmio renasce no Brasileirão
O Grêmio também fez seis gols no Avaí: 6 a 1. Que dia! Todo mundo fez gol no time gaúcho. Depois de ser eliminado da Copa do Brasil, vencida pelo Athletico-PR, o time de Renato Gaúcho passou a dar mais atenção ao torneio nacional e já ocupa uma das primeiras posições. Está em 7º. Tem ainda a Libertadores para jogar, mas já mostrou que será osso duro de roer no Brasileirão também. E dá-lhe goleada!

7 – Atlético-MG fez o mais difícil
Por pouco o Atlético-MG não chegou à final da Sul-Americana. O time ganhou do Colón por 2 a 1 em casa, mas perdeu nos pênaltis. E caiu fora. A decisão serão entre Del Valle e Colón. Os brasileiros ficaram para trás.

8 – Fortaleza demite Zé Ricardo
Essa não foi na quinta maluca, mas nesta sexta de manhã. O Fortaleza demitiu o técnico Zé Ricardo, e abre caminho para a volta de Rogério Ceni, se ele aceitar o emprego de volta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.