Afirmação do craque contra uma grande seleção
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Afirmação do craque contra uma grande seleção

João Lacerda

22 de junho de 2013 | 19h07

Nas bolas paradas, Neymar garante liderança para a seleção brasileira e finalmente tem atuação de destaque contra gigante europeu

 

Em vitória do Brasil contra a Itália, Neymar comemora gol (Nilton Fukuda/Estadão)

 

João Bosco Lacerda – Seleção Universitária – especial para o Estado

BRASÍLIA – Neymar é o jogador brasileiro de maior destaque internacional. Artilheiro do grupo que vem sendo formado para a Copa de 2014 com 22 gols, faltava ao atleta da seleção brasileira e do Barcelona uma grande atuação contra as melhores defesas europeias.

Antes do jogo deste sábado, 20, contra a Itália, Neymar havia disputado cinco partidas contra seleções europeias campeãs do mundo: empatou duas, perdeu duas e venceu apenas uma, no amistoso deste mês contra a França. Contra essas equipes, tinha feito apenas um gol, de pênalti, na derrota por 3X2 para a Alemanha, ainda em 2011.

Em nenhuma dessas partidas o camisa 10 da seleção brasileira conseguiu repetir as jogadas que o consagraram no Santos, como o gol marcado em julho 2011 contra o Flamengo, eleito pela Federação Internacional de Futebol (FIFA) como o mais bonito do ano, ou a jogada da última quarta-feira contra o México, que resultou no segundo gol brasileiro. Mas o jogo de hoje foi uma mostra de que essa situação tem tudo para mudar.

Já no início da partida, a seleção brasileira dava mostras de que iria ajudar seu principal jogador a ter uma grande atuação. Nos primeiros 5 minutos, o Brasil adiantou a marcação e sufocou a Itália, com chances desperdiçadas por Oscar e Fred. Aos poucos, no entanto, a seleção italiana foi acertando a marcação, e Neymar, que atuava fixo na ponta esquerda, era bem marcado por Abate, lateral-direito italiano que contava com o apoio de Candreva e a sobra do zagueiro Bonucci para anular o craque brasileiro.

Ainda assim, Neymar quase marcou após tabela com Oscar. A finalização de perna esquerda, no entanto, saiu pelo lado esquerdo do gol de Buffon. Irritado com a dura marcação italiana, entrou de maneira mais dura em Abate, que acabou deixando o jogo ainda no primeiro tempo. Porém, o substituto Maggio também não dava espaços para o jogador brasileiro.

Se não dava com a bola rolando, Neymar resolveu na bola parada. Aos 45 minutos do primeiro tempo, sofreu falta de Candreva à esquerda da grande área italiana. Na cobrança, colocou a bola na cabeça de Fred. Buffon fez grande defesa, mas o zagueiro Dante, impedido, abriu o placar para a seleção brasileira.

Logo no início do segundo tempo, no entanto, a Itália empatou a partida. Giaccherini recebeu livre na direita e estufou a rede de Júlio César. Coube novamente a Neymar acalmar os ânimos brasileiros. Primeiro, cavou uma falta depois de tentar um drible em cima de Maggio. Na cobrança, colocou a bola no ângulo esquerdo do goleiro Buffon, que só observou a trajetória da bola.

Antes de ser substituído por Bernard, o camisa 10 ainda viu Fred ampliar a vantagem brasileira. A Itália ainda esboçou uma reação com Chielinni, mas Fred novamente marcou e deu números finais ao placar de 4×2 para a seleção brasileira.

Festa na Fonte Nova, e alívio da torcida brasileira por ver que a maior estrela da seleção pode ser decisiva em jogos contra os grandes europeus. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.