A Copa do humor: redes sociais defendem o torneio em tom de brincadeira
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A Copa do humor: redes sociais defendem o torneio em tom de brincadeira

Seleção Universitária

22 de maio de 2014 | 18h05

Na contramão das manifestações, torcedores reforçam o evento como entretenimento através de piadas e sátiras

Site parodia “A última ceia” com jogadores brasileiros conhecidos (Reprodução)

Gabriel Gama – especial para o Estado de S. Paulo

 

BELO HORIZONTE – No início era apenas uma brincadeira fortuita entre amigos amantes do futebol antimoderno. Porém, o que era para ser algo despretensioso, se transformou em um dos maiores hits de humor das redes sociais. Com três meses no ar, a página do Facebook “Vai ter copa sim” conquistou 75 mil fãs graças ao poder viral da internet.

O objetivo é simples: ir na contramão dos protestos contra a Copa, apoiando o torneio de uma maneira peculiar. A página traz montagens engraçadas, memes e imagens históricas de personagens-símbolo e caricaturais do futebol brasileiro. “Já está ruim, vamos rir para não chorar”, brinca o publicitário Raphael Evangelista, 26, um dos criadores e gerenciadores da página.

“Vai ter copa sim” faz parte de um movimento que vem fazendo sucesso nas mídias sociais entre os fãs brasileiros do esporte. Entretanto, as páginas não ficam centradas apenas em resgatar o aspecto lúdico do futebol através das brincadeiras.

“Essa não era nossa ideia inicial, mas existe uma crítica que está implícita. Nós amamos a Copa, mas sabemos dos problemas sociais do país. Honestamente, uma coisa não anula a outra, os problemas continuariam com ou sem Copa. Nós estamos aqui para entreter o povo que anda com a síndrome de vira-lata muito alta”, diz Evangelista. Ele acredita que a boa recepção do público é devido à leveza que a página apresenta. “Os fãs entenderam a nossa ironia”, completa.

Um dos últimos sucessos do espaço foi a criação de uma paródia do clipe oficial do torneio, protagonizada pelos cantores Pitbull, Claudia Leitte e Jennifer Lopez. A versão bem-humorada do vídeo traz cenas bizarras do futebol brasileiro, com personagens emblemáticos e figuras caricaturais da TV brasileira.

Origem. Embora o sucesso seja recente, a fonte de inspiração do “Vai ter copa sim” está em atividade há mais tempo. Trata-se do grupo de humor Carsughi Mania, criado há oito anos na antiga rede social Orkut, e no ar há dois anos no Facebook. Muitas ideias e conteúdos publicados por Breno e os outros organizadores vieram desta antiga comunidade, comandada pelo também publicitário Gustavo Ricci, 33. “Muitas ideias que surgem do nosso grupo acabam viralizando. A diferença para o ‘Vai ter copa sim’ é que como a CM é um grupo fechado, nossas postagens ficam restritas aos membros”, explica.

A Carsughi Mania também é defensora do Mundial no país e a principal crítica dos membros é ao torcedor, apelidado por eles, de moderno. “Somos contra o torcedor de televisão, que acompanha os campeonatos europeus, mas nunca chutou uma bola ou foi em uma arquibancada de estádio”, afirma o criador do grupo.

‘Hit’. Mais recente que os dois, em menos de um mês de existência a página “Foi pênalti, Mauro?” já possui mais de 12 mil curtidas no Facebook e cerca de 2 mil seguidores no Twitter. O espaço foi inspirado no comentarista da ESPN Brasil, Mauro Cezar Pereira, conhecido por achar que a maioria dos pênaltis em jogos, tanto nacionais como internacionais não são corretamente assinalados.

“A ideia surgiu no dia do jogo entre Atlético de Madrid e Barcelona em que houve um pênalti claro e o Mauro disse que não tinha sido. Um amigo fez uma brincadeira falando que nem a explosão de Hiroshima o Mauro acharia que fosse pênalti. Fiz uma montagem no meu Twitter e teve mais de 300 retweets. Decidimos criar a página depois disso”, conta o advogado Douglas Mota, 29.

Segundo ele, para que “É pênalti, Mauro?” continue alavancando, é necessário estar ligado sobre tudo que está em evidência no esporte. O criador da página já projeta a Copa do Mundo como uma boa oportunidade de crescimento. “Estamos sempre de olho nas coisas que estão acontecendo e fazemos as brincadeiras de forma contextualizada. A Copa com certeza vai dar muito material para gente porque é uma coisa que todo mundo vai estar falando”, completa.

Chulapa. Figura principal do “Vai ter copa sim”, por causa dos seus bordões “Acaba não mundão!” e “Danone” (sinônimo de cerveja), o ex-atacante Aloísio Chulapa aprova as brincadeiras e defende o humor, mas confessa nunca ter ouvido falar da página. “Não conheço o que eles fazem, mas acho que toda forma de humor é válida e fico honrado por ser uma referência para eles. É o carinho do povo. Esses meus bordões mostram o meu jeito de ser. Sempre fui um cara simples que gosta de fazer brincadeiras”, comenta o ex-atacante.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: