As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Argentinos comparecem em peso a Porto Alegre

Apesar da rivalidade no futebol, clima entre os torcedores era amigável

Seleção Universitária

23 de junho de 2014 | 20h19

Apesar da rivalidade no futebol, clima entre os torcedores era amigável

Lucas Oliveira – especial para O Estado de S. Paulo

PORTO ALEGRE – Mesmo com a chuva fina que ia e vinha na capital gaúcha, a Fan Fest teve um excelente público. Mais de 14 mil pessoas, incluindo muitos argentinos, assistiram à vitória de 4 a 1 da seleção brasileira em cima da camaronesa,  nesta segunda-feira, 23.

Pra onde os olhos apontavam, era possível ver o azul e branco da bandeira argentina em meio aos gaúchos, no anfiteatro Pôr-do-Sol. Um clima muito amistoso, apesar da histórica rivalidade no futebol.

As amigas Sabrina Martins, 18, e Ariele Silva, 19, vieram ao evento com suas filhas, Sofia, 2, e Tainara, de seis meses. As brasileiras estavam tranquilas com a invasão argentina que se instalou em Porto Alegre. “Nós estamos em nossa cidade, não precisamos ter medo. Mas eles são tranquilos, torcem que nem nós”, afirmou Ariele.

O argentino Flavio Galli, 49, veio de Buenos Aires para a capital gaúcha com sua esposa Josefina, 41, e seus dois filhos Morena, 7, e Cristovan, 4, para assistir ao confronto com a Nigéria, na quarta-feira, 25. Para eles, também não há problemas com os brasileiros. “Está tudo normal. A rivalidade no futebol existe, mas é só brincadeira. Vieram muitos torcedores, a maioria é boa gente”, disse Galli. Para ele, quem vai conquistar a Copa será o Brasil, logo após o segundo gol de Neymar. “Olha ali, vocês têm sorte de campeões”, brinca.

Ponto facultativo. A prefeitura de Porto Alegre e o governo do RS decretaram ponto facultativo o dia todo nesta quarta-feira, 25, em função da ‘invasão’ argentina que está prevista para o jogo contra a Nigéria. A Secretaria de Segurança Pública acredita que mais de 80 mil hermanos virão para a capital gaúcha.

Fan Fest. Ainda foi longa a espera para comprar bebidas, principalmente cerveja, nos quiosques. Apesar da chuva que caiu durante todo o dia, o local não apresentou problemas na estrutura, a não ser um pouco de barro. Segundo a Brigada Militar, não houve nenhum registro de brigas ou tumultos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.