As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cambistas agem perto de pontos credenciados e cogitam aumentar preços dos ingressos

Victor NM

29 de junho de 2013 | 18h23

Entradas para o jogo deste domingo devem encarecer no dia da decisão

Victor Machado – Seleção Universitária – especial para o Estado

RIO DE JANEIRO – Apesar de quase escassos para compra no site oficial da Federação Internacional de Futebol (Fifa), os ingressos para a final da Copa das Confederações também se concentram nas mãos dos cambistas, que agem a metros de distância de pontos de retirada de ingressos.

Na véspera do jogo entre Brasil e Espanha, que decidem o torneio no Maracanã, há cambistas dispostos aumentar ainda mais o preço dos ingressos caso não os vendam até o dia da partida.

“O preço para um ingresso de categoria 1 por enquanto é R$ 1500 (mais que o triplo do valor original), mas amanhã (domingo) é outra história. Pode chegar a dois mil, três mil, dez mil, sei lá, vai ser no desespero”, contou um cambista, próximo ao Hotel Windsor, no Centro do Rio, um dos pontos de retirada credenciados pela Fifa.

A compra geralmente não é feita com o próprio cambista, que não carrega os ingressos consigo. É preciso marcar um local, havendo a possibilidade de ter o produto entregue em domicílio.

“Não tenho o ingresso aqui, mas sei quem tem. É só falar a quantidade que eu dou um jeito de conseguir”, completou.

Pela internet é possível achar cambistas cobrando preços a partir de R$ 1 mil para o setor de categoria 4, a mais barata, que poderia ser adquirida por R$95 (ou por R$ 47,50, valor da meia-entrada, permitida apenas para essa categoria).

Pelo regulamento da competição, a Fifa proíbe a venda de ingressos que não seja pelo método padrão, através do site oficial da entidade. A Federação possui um próprio sistema de revenda e transferência de ingressos.

Tudo o que sabemos sobre:

CambistasCopa das ConfederaçõesIngressos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.