Campanha surpreendente da Costa Rica atrapalha a volta de seus torcedores
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Campanha surpreendente da Costa Rica atrapalha a volta de seus torcedores

Grupo de costarriquenhos comprou ingressos só para a primeira fase e agora corre por novos bilhetes

Seleção Universitária

23 de junho de 2014 | 17h30

Grupo de costarriquenhos comprou ingressos só para a primeira fase e agora corre por novos bilhetes

Alvarado (primeiro da direita para a esquerda) e amigos curtem a Fan Fest um dia antes do jogo entre Costa Rica e Inglaterra, no Mineirão (Gabriel Gama/Seleção Universitária)

 

Gabriel Gama – especial para O Estado de S. Paulo

BELO HORIZONTE – Encontrar costarriquenhos nas ruas belohorizontinas a partir da segunda metade da Copa era para ser uma raridade. Entretanto, a campanha surpreendente dos latino-americanos com duas vitórias contra campeãs mundiais e a classificação antecipada às oitavas provocou uma atmosfera diferente do previsto para o jogo desta terça-feira, 24, às 13h, entre Costa Rica e a eliminada Inglaterra.

E o ambiente favorável aos costarriquenhos já pode ser visto a um dia do jogo, na Fan Fest, antes da transmissão de Brasil e Camarões.

Brasileiros foram presença maciça entre as 21 mil pessoas que lotaram as dependências do Expominas na tarde desta segunda-feira, 23, mas também foi possível ver mais grupos de costarriquenhos do que de ingleses.

Cinco amigos entre 27 e 35 anos, Esteban Alvarado, Erick Brenes, Andrés Valverde, Ricardo Chinchilla e Carlos Vargas foram ao evento, ansiosos para o jogo de amanhã. O grupo foi pego de surpresa com a boa campanha. Tanto que estenderam a estadia no Brasil.

“Estava previamente programado da gente ficar até o dia 2 de julho, porque já prevíamos uma eliminação precoce na primeira fase. Sabíamos que o nosso time tinha potencial, mas nem os costarriquenhos esperavam um desempenho tão brilhante. Agora, sabe-se lá quando voltaremos para o nosso país”, comenta o empolgado Alvarado. O grupo está com dificuldades para comprar passagens para Recife, onde acontecerá as oitavas, e ingressos para o jogo. “Está tudo muito caro. Corremos risco de nem ver a nossa seleção mais”, completa.

Tristeza. Iam Cally, 48, morador de Manchester, veio passar 32 dias no Brasil para acompanhar nove jogos da Copa. O inglês é a representação fiel do sentimento de frustração que paira no semblante dos ingleses que vieram a BH. Viajando sozinho ao país , Cally afirma que a vinda valeu a pena mesmo com a eliminação precoce do English Team.

“Estou adorando o país. Sou fã de Copa do Mundo, tanto que comprei nove ingressos. Claro que fiquei decepcionado com a desclassificação. Afinal, esperávamos chegar pelo menos às quartas de finais, masisso não estragará a minha viagem”, disse o inglês, que vai ao último jogo da Inglaterra.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.