Chuva atrapalha mas cariocas festejam vitória da Seleção
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Chuva atrapalha mas cariocas festejam vitória da Seleção

Victor NM

15 de junho de 2013 | 19h52

Concentra Rio recebe público bem menor que esperado no centro da cidade

 

Cariocas assistiram ao jogo no Concentra Rio (Victor Machado / Seleção Universitária)

Victor Machado – Seleção Universitária – especial para o Estado

RIO DE JANEIRO – Enquanto os cariocas contam as horas para a estreia do Maracanã na Copa das Confederações, o jeito é ligar a televisão, mas não necessariamente dentro de casa. Neste sábado, o Terreirão do Samba, no centro, transmitiu a vitória por 3 a 0 do Brasil sobre o Japão em dois telões para quem quisesse se sentir no estádio.

Sem cobertura no local, a chuva antes do jogo reduziu em peso o público estimado. De acordo com a organização do evento, eram esperadas 10 mil pessoas, mas cerca de apenas duas mil compareceram até o fim da transmissão. Pelo lado positivo, quem prefere assistir aos jogos sentado teve espaço de sobra para se sentir à vontade.

Logo no início, com o gol de Neymar, a pequena torcida inflamou. Depois, a tensão aumentou com os gols perdidos e as raras oportunidades de empate do time japonês. Com o tempo, as pessoas chegaram, mas longe de encher o espaço.

No segundo tempo, o gol de Paulinho renovou o gás dos presentes, que saíram com o sorriso no rosto com o terceiro do Brasil no fim do jogo, marcado por Jô.

Ao longo da transmissão, o jogo não foi a única atração do Concentra Rio. Figuras marcantes do futebol carioca também marcaram presença no evento, mas quem mais chamou atenção foi a dupla de boleiros Lion, que ganha a vida fazendo embaixadinhas em pontos turísticos, e Marcelo, especialista em freestyle e recordista mundial do Guinness em trocar camisetas sem deixar a bola tocar no chão.

“O Neymar só é bom no bolso (risos), no futebol freestyle somos nós. Fazemos embaixadinhas com a menor bola do mundo, ele ainda usa a grande, de futebol”, brincaram os artistas da bola.

Torcedor veterano, Carlos Henrique, mais conhecido como Caique pelos amigos de estádio, levou até cartaz para o evento e errou por pouco o placar da partida. “Sou vascaíno e faço isso em todos os jogos do Vasco. O ingresso está meio caro, então não vou à Copa das Confederações. O meu negócio é ficar aqui com a minha galera”, contou.

 

Torcedor quase acertou o placar do jogo (Victor Machado / Seleção Universitária)

Homenagens estrangeiras no Maracanã

No meio do verde e amarelo era possível identificar camisas diferentes da brasileira no evento deste sábado. O jogo era Brasil contra Japão, mas o confronto do dia seguinte, no Maracanã, já tinha representantes no local.

Rafael Garcez é brasileiro naturalizado mexicano, mas torce para o México em homenagem ao pai, que morreu há 10 anos. “Brasil tem todo dia, eu sou México. Sempre acompanho a seleção, desde pequeno”, diz o torcedor, que vai ao Maracanã para assistir ao jogo entre México e Itália. “Vai ser 2 a 0, com dois gols de Chicharito, o time depende muito dele”.

Marcos Vieira também é brasileiro, mas usa a camisa da Azzurra por causa da filha, que há uma década se mudou para a Itália. Fã da seleção italiana e do país, apesar de ainda não o conhecer de perto, ele disse que torcerá por uma vitória sobre o México, mas não contra o Brasil no confronto entre as seleções.

“Gosto muito da Itália e vou torcer para ela no domingo, mas quando jogar contra o Brasil, sou Brasil”, declarou mineiro, torcedor do Atlético-MG que ficou feliz com o gol de Jô no fim do jogo. “Vou torcer para ele ser o artilheiro.”

 

‘Estrangeiros’ marcaram presença no Concentra Rio (Victor Machado / Seleção Universitária)

México e Itália se enfrentam neste domingo, às 16h, no Maracanã. A partida é válida pela primeira rodada da Copa das Confederações.

O Concentra Rio funcionará durante todos os dias da competição e terá os portões abertos a partir das 14h no domingo, a entrada é gratuita e a programação do evento conta com shows musicais diariamente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.