Espanha não dá espaços para Nigéria e garante primeiro lugar do grupo B
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Espanha não dá espaços para Nigéria e garante primeiro lugar do grupo B

Daniel Batista

23 de junho de 2013 | 16h24

Na semi-final, Roja enfrenta a Itália, que ficou na segunda colocação do grupo A

Junto aos companheiros, Jordi Alba comemora seu segundo gol na partida (Oliver Weiken/EFE)

Junto aos companheiros, Jordi Alba comemora seu segundo gol na partida (Oliver Weiken/EFE)

 

Tobias Saldanha e Vanderson Pimentel – Seleção Universitária – especial para o Estado

FORTALEZA, SÃO PAULO – As mudanças que a Nigéria tentou botar em campo para surpreender a Espanha não surtiram efeito. Classificada para o jogo contra a Itália na Arena Castelão, na quinta-feira, 27, a seleção espanhola venceu por 3 x 0 e se mantém como uma das favoritas ao título.

Superior tecnicamente durante toda a partida, a Roja entrou em campo com força máxima contra a Nigéria. Logo aos 2 minutos, o lateral-esquerdo Jordi Alba fez fila, passando por três jogadores, e tocou na saída de Enyeama para marcar um golaço.

Com o apoio da maior parte da torcida presente na Arena Castelão, os nigerianos ainda tentaram pressionar, mas as maiores oportunidades do primeiro tempo foram da Espanha, que perdeu chances em dois chutes de Roberto Soldado, além de uma bola de Fábregas que bateu na trave e uma cabeçada de Sergio Ramos, no último lance da primeira etapa.

No segundo tempo, o jogo estava morno, quando aos 14 minutos, Del Bosque resolveu tirar Soldado, para colocar Fernando Torres na frente. Três minutos foram o suficiente para o camisa 9 marcar, de peixinho, após cruzamento de Jordi Alba, fazendo o seu quinto gol na competição.

Estacionamento e lanchonete foram problemas

Se o clima no entorno do estádio era tranquilo, as reclamações dessa vez vieram dos torcedores, que tiveram que andar mais de 2 km, para chegar ao estádio. Apesar das 1.997 vagas disponíveis, o público não pode utilizar o estacionamento por normas da Fifa, de acordo com a prefeitura da cidade.

Após andarem cerca de 2 km, torcedores espanhois chegam na Arena Castelão (Felipe Trueba/EFE)

“Não sei pra que fazer tantas vagas no estacionamento se não podemos usar. Para acessar ao estádio tive que andar cerca de 2 km a pé”, disse o servidor público, Vitor Moraes.

Dentro da Arena, os 51.263 pagantes não tiveram problemas com os banheiros, mas houve quem precisou se alimentar teve problemas com desorganização. “Quando cheguei para ser atendido, não tinha comida e perdi 10 minutos do segundo tempo”, afirmou o professor Wandson de Jesus, que precisou aguardar meia hora na fila.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.