Compradores reclamam de falta de organização em retirada de ingressos na véspera do primeiro jogo no Rio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Compradores reclamam de falta de organização em retirada de ingressos na véspera do primeiro jogo no Rio

Victor NM

15 de junho de 2013 | 13h20

Público nas filas critica sistema de agendamento e disposição dos lugares no estádio

 

Fila para retirar ingressos foi grande (Victor Machado / Seleção Universitária)

Victor Machado – Seleção Universitária – especial para o Estado

RIO DE JANEIRO – A véspera do primeiro dia de jogo no Maracanã começou com confusão na retirada de ingressos. Entre as maiores reclamações dos compradores estão a falta de informação e a indesejada localização dos assentos no estádio. A maior parte das pessoas precisa das entradas já para a partida deste domingo, entre México e Itália.

No ponto de retirada do Hotel Windsor, na Avenida Presidente Vargas, no Centro, o esquema foi alterado. Em vez de apenas uma única fila como nos dias anteriores, duas foram formadas: uma para quem já estava agendado para obter as entradas neste sábado, no local, e outra formada por pessoas que não estavam agendadas ou que não compareceram no dia marcado. O tempo de espera dos agendados não passa de 15 minutos, já o atendimento para a segunda fila pode demorar até uma hora, pois conta com menos guichês.

Wilton Almeida, auxiliar júridico, comprou um ingresso de categoria 1, o mais caro, para assistir à final, no dia 30. Insatisfeito com a posição do assento, o comprador criticou o sistema adotado pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) para a disposição dos lugares. “É um absurdo pagar R$418 e ficar longe do campo, lá em cima. Vou estudar essa situação e talvez devolva o ingresso, pedindo a restituição do dinheiro. Eles justificaram que a categoria varia de acordo com a visibilidade”, contou.

Na fila dos que não vieram no dia marcado, o gaúcho Tiago Corrêa criticou a organização do ponto de retirada de ingressos e justificou o motivo de comparecer em outro dia. “Vim no dia que agendei, mas o funcionário disse que não dava para eu ser atendido porque a fila estava grande e pediu para eu voltar mais tarde, mas eu não podia. Hoje, perguntei se meu nome estava na lista e falaram que imprimiram a lista errada”, completou o comprador, que conseguiu o ingresso após mais alguns minutos de espera.

Com os ingressos comprados em janeiro deste ano, o paulista William Alves fez o agendamento para dois locais diferentes no mesmo dia. O site oficial da Fifa permitiu que isso fosse feito, mas ele foi informado depois que teria que pegar os ingressos no Aeroporto do Galeão, pois já haviam sido impressos lá. “Agendei para o Galeão primeiro e depois para a Presidente Vargas. Seria melhor ter essa possibilidade. O site não deveria aceitar, mas permitiu. O certo mesmo era entregarem o ingresso em casa”, reclamou.

Outro caso de críticas à Fifa por parte dos compradores é a respeito dos ingressos de categoria 4. Segundo o regulamento oficial da Copa das Confederações 2013, essas entradas, mais baratas, são destinadas exclusivamente a pessoas naturais residentes no Brasil, mas os funcionários dos guichês de retirada disseram que não será preciso levar comprovante de residência ao estádio. Sendo assim, pessoas de fora do país que adquirirem podem entrar com o ingresso no estádio.

 

Aviso da Fifa sobre ingressos (Victor Machado / Seleção Universitária)

O casal Aline Falcão e Eliano Soares veio de São Paulo para retirar os ingressos para México e Itália na manhã deste sábado. Preocupados com a possibilidade de não conseguir as entradas por causa da fila, eles perguntaram a voluntários da Fifa na praia de Copacabana sobre os pontos de retirada e foram informados sobre a possibilidade da criação de novos locais.

“Os voluntários disseram que se ainda tiver muitos ingressos sobrando, eles vão liberar o Maracanã para a retirada das entradas, mas só em último caso”, a informação, no entanto, não é confirmada pela Fifa. “Eles também falaram que cogitou-se abrir um ponto no Aeroporto Santos Dumont, mas isso não aconteceu”, explicaram.

O Rio de Janeiro oferece três opções de lugares para a retirada de ingressos. Até a noite da última sexta-feira era possível agendar para este sábado, véspera do primeiro jogo na cidade, a retirada no Aeroporto do Galeão e na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca. No hotel Windsor, no Centro, só é possível marcar para a partir da próxima quarta-feira.

Segundo o site oficial da Fifa, os ingressos para os confrontos entre México e Itália e entre Espanha e Haiti estão esgotados. Para a final, restam apenas poucos, destinados a usuários de cadeira de rodas, que têm direito a um acompanhante com ingresso de cortesia.

 

Casal veio de São Paulo para assistir México x Itália (Victor Machado / Seleção Universitária)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.