Concentra Rio supera ataques e reúne três mil torcedores
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Concentra Rio supera ataques e reúne três mil torcedores

Victor NM

22 de junho de 2013 | 21h45

Estrutura teve partes danificadas em dia de protesto, mas evento manteve programação

 

Torcida comemorou vitória sobre a Itália (Victor Machado / Seleção Universitária)

Victor Machado – Seleção Universitária – especial para o Estado

RIO DE JANEIRO – As atividades já haviam sido encerradas quando um grupo de pessoas destruiu parte do Terreirão do Samba na noite da última quinta-feira, 20, após o protesto no centro. Segundo vendedores do local, os bares não foram afetados, apesar de algumas mesas e cadeiras terem sido quebradas.

Mesmo com proteções improvisadas nas paredes e sem a tenda da cabine de imprensa, também arruinada, o Concentra Rio superou os números da estreia e recebeu cerca de três mil pessoas neste sábado, 22, dia marcado pela vitória sobre um dos maiores rivais do futebol brasileiro.

 

Estruturas de metal foram colocadas após danos (Victor Machado/Seleção Universitária)

No ritmo da seleção, a torcida alternou momentos de festa e preocupação ao longo do jogo. Houve algumas reivindicações, mas apenas direcionadas à arbitragem da partida. No fim, o clima ficou festivo. “Vão ser dois gols do Fred”, disse o tricolor Nelson Carvalho, de 73 anos, que acertou o palpite no final das contas.

A vitória por 4 a 2 sobre a Itália, na Fonte Nova, resultou tanto palmas e elogios ao time de Scolari quanto provocações ao mais comentado atacante italiano. “Balotelli, cadê!?”, ironizavam os torcedores, enquanto comemoravam o triunfo.

Sozinho na multidão, apenas um rosto pintado de verde, vermelho e branco. Havia apenas um italiano, secando Neymar e companhia. Salvatore Palumbo está desde dezembro no Brasil estudando eventos esportivos e esperava um empate. “Para mim, 1 a 1 seria justo”, opinou no início da partida.

O administrador conheceu o Maracanã quando México e Itália se enfrentaram, na semana passada. O próximo compromisso no estádio é a final da Copa das Confederações, e ele espera ver a Azzurra de novo: “Todos esperam um bom desempenho da sua seleção, temos uma boa equipe”, analisou.

 

Italiano organizou “torcida solitária” (Victor Machado/Seleção Universitária)

O italiano não era o único estrageiro presente no Concentra Rio. Apesar da camisa da seleção brasileira no corpo, o idioma diferente entregava Rui Han. Acompanhado de amigos, o chinês marcou presença no evento para torcer pelo Brasil.

“Vou embora semana que vem, mas antes vou à decisão no Maracanã. Acho que vai ser Brasil contra Espanha”, contou o viajante, que admitiu ter um carinho especial pelo Tricolor das Laranjeiras “Tenho amigos que moram aqui e eles torcem para o Fluminense, é um time que eu gosto também.”

 

Chinês marcou presença no evento para torcer pelo Brasil (Victor Machado / Seleção Universitária)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.