Copa das Confederações de 2013 tem a melhor média de gols da história da competição
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Copa das Confederações de 2013 tem a melhor média de gols da história da competição

Machado PR

24 Junho 2013 | 14h22

Goleadas diante do Taiti ajudaram atacantes, que podem bater recorde na artilharia

A Cafusa, bola da Copa das Confederações, foi 58 vezes para o fundo do gol nesta primeira fase (Ivan Alvarado/Reuters)

A Cafusa, bola da Copa das Confederações, foi 58 vezes para o fundo do gol nesta primeira fase (Ivan Alvarado/Reuters)

Renato Machado – Seleção Universitária – especial para O Estado

SÃO PAULO – O fã de futebol deve estar satisfeito com a primeira fase da Copa das Confederações. Viradas no placar, bom público nos estádios e, principalmente, goleadas marcaram os 12 primeiros jogos da competição. Com 58 gols na primeira fase, a edição 2013 do torneio tem a maior média de tentos por jogo da história do torneio – desde que a Fifa adotou a atual fórmula, em 1997. Brasil, Espanha, Itália e Uruguai seguem em busca de mais gols, rumo ao título do torneio.

Impulsionada pelas goleadas impostas ao Taiti, a média de gol da Copa das Confederações 2013 mostra discrepância diante dos números de outras edições. Antes do torneio no Brasil, a Copa disputada em 1997, na Arábia Saudita, era a que possuía o maior número de gols na primeira fase (42 em doze jogos, média de 3,5 gols/partida).

A edição brasileira foi além e registrou 58 tentos também em doze partidas (média de 4,8 gols/partida). O torcedor que foi ao torneio de 2001, na Coreia e Japão, foi o que menos viu gols na primeira fase (apenas 25 em 12 jogos, média de 2,1 gols/partida). Dessas doze partidas, duas  ficaram no maçante placar de 0 a 0.

Neste ano, entretanto, nenhum dos jogos ficou sem gols. O 2 a 0 entre Brasil e México foi a partida com menos bolas na rede. A maior goleada em 2013 também é a maior goleada da história. Fernando Torres, David Silva, David Villa e Juan Mata foram os responsáveis pelos gols no massacre espanhol à fraca seleção do Taiti por 10 a 0.

Tantas mudanças no placar auxiliam os jogadores do ataque. Só com a primeira fase disputada, é possível projetar um novo recorde na artilharia da Copa das Confederações. Atualmente, Romário é o jogador que mais vezes marcou em uma só edição – foram sete gols no torneio de 1997.

Em 2013, alguns atletas já se destacam como candidatos a artilheiros. Fernando Torres, que na goleada diante do Taiti marcou quatro vezes, é o líder isolado do ranking com cinco gols (Torres também fez o dele contra a Nigéria). Abel Hernandéz, atacante reserva do Uruguai, aproveitou a oportunidade contra o Taiti e também marcou quatro vezes, sendo o segundo melhor artilheiro da competição. O melhor brasileiro no quesito é Neymar, com três jogos em três partidas.