Em artigo, Romário volta a atacar alto custo da Copa do Mundo no Brasil
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em artigo, Romário volta a atacar alto custo da Copa do Mundo no Brasil

Machado PR

24 de junho de 2013 | 18h06

No domingo, 23, o deputado federal havia respondido a críticas de Ronaldo, membro do COL

O deputado federal Romário é crítico ferrenho da Copa do Mundo no Brasil

O deputado federal Romário é crítico ferrenho da Copa do Mundo no Brasil

Renato Machado – Seleção Universitária – especial para O Estado

SÃO PAULO – O deputado federal Romário (PSB-RJ) vem sendo uma das figuras públicas mais contrárias à realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Exigindo transparência nos gastos das obras de infraestrutura, o deputado foi ferrenho ao criticar o texto que compunha a polêmica Lei Geral da Copa, que dava poderes excessivos à Fifa. Em vídeo publicado na última sexta-feira, 21, apoiando os protestos que vêm acontecendo nas sedes da Copa das Confederações, Romário falou do poder político da entidade e comentou sobre quem manda no País, segundo ele “o verdadeiro presidente do Brasil hoje, que se chama Fifa”.

A evidente exposição do deputado gerou críticas de pessoas favoráveis à Copa no Brasil. Entre elas, o também ex-jogador Ronaldo. Em coletiva de imprensa do Comitê Organizador Local da Copa (COL), no sábado, 22, o Fenômeno explicava o vídeo em que aparece dizendo que “Copa do Mundo não se faz com hospitais”, datado de 2011. Em sua fala, o membro do COL argumentou: “o vídeo foi manipulado e tendencioso. Me arrependo da forma como foi dita a frase, mas tenho certeza de que o contexto inicial continua sendo o que eu penso”. No entanto, para suportar sua explicação, Ronaldo atacou o deputado federal. “Eu vejo muita gente se aproveitando. O Romário tem cargo público, ele pode fazer alguma coisa. Não é só apontar o dedo, tem que fazer”, comentou.

A crítica chegou a Romário, que publicou, em sua página de Facebook, uma carta aberta em resposta a Ronaldo. O deputado negou que esteja se aproveitando da situação e lembrou que fiscaliza obras desde 2011, quando assumiu o mandato. Romário aproveitou a oportunidade para cobrar Ronaldo sobre um promessa feita em nome do comitê que representa: “Aliás, nós da Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Deficiência ainda esperamos os 32 mil ingressos para a Copa do Mundo prometidos publicamente por você, em nome do COL, para as pessoas com deficiência de baixa renda.” Confira a íntegra da carta aberta aqui.


Imprensa europeia

Romário também chamou a atenção da imprensa estrangeira. Em artigo publicado no jornal britânico The Guardian, nesta segunda-feira, 24, o deputado federal dá um panorama da atual situação política nacional e comenta a efervescência e revolta da população quanto à falta de investimentos em educação e saúde. No texto, Romário diz que, inicialmente, era favorável à Copa no País, pois havia promessas de geração de emprego e renda. Mas então, “os planos do governo mudaram – os acordos assinados com a toda-poderosa Fifa permaneceram. Os investimentos nas cidades-sede foram priorizados sobre a necessidade da população”, reflete.

O deputado federal lembra do gasto total do torneio, que estava programado para R$ 25,5 bilhões e, atualmente, está em R$ 28 bilhões. E pergunta, “porque estamos organizando a Copa mais cara da história, sem os benefícios prometidos à população?”.  “Enquanto isso, a Fifa anuncia que irá lucrar R$ 4 bilhões com a copa no Brasil”, finaliza.

Tudo o que sabemos sobre:

Copa do MundoFIFARomárioRonaldo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.