Em Belo Horizonte, pessoas saem novamente às ruas em tarde de jogo do Brasil
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em Belo Horizonte, pessoas saem novamente às ruas em tarde de jogo do Brasil

Seleção Universitária

19 de junho de 2013 | 19h19

Jogo entre Brasil e México é marcado por nova onda de protestos na capital mineira

 

Manifestante levanta cartaz em protesto durante o jogo entre Brasil e México, em Belo Horizonte (Guilherme Faria/Seleção Universitária)

 

Guilherme Faria – Seleção Universitária – especial para o Estado

BELO HORIZONTE – Desde as 13 h desta quarta-feira, 19, manifestantes marcaram presença nas ruas de Belo Horizonte para protestar pela quarta vez nos últimos cinco dias. O público, composto em sua grande maioria por estudantes, tem diversas reivindicações, que incluem o preço das passagens de ônibus na cidade, a proposta da PEC 37, o projeto da ‘cura gay’ e uma série de outras causas.

O horário escolhido também simbolizou a revolta da maioria dos manifestantes em relação à realização Copa das Confederações e da Copa do Mundo. A indignação era demonstrada através de diversos cartazes e cantos que questionavam os gastos com as competições, que eram bradados por boa parte das 5 mil pessoas que e concentraram na Praça Sete, no centro da capital.

 

Protesto reúne 5 mil pessoas no centro de Belo Horizonte (Guilherme Faria/Seleção Universitária)

 

“É um absurdo que o Brasil gaste a soma do que os últimos três países-sede investiram para receber a Copa”, reclamou o estudante Luiz Poças, que também pediu maior clareza nos recursos direcionados às competições.

Para o também estudante Daniel Carvalho, a partida da seleção brasileira era irrelevante comparada aos resultados que a manifestação poderia trazer. “É melhor protestar do que assistir a um jogo sem ganhadores”, pontua.

O movimento, que não tem liderança organizada, se dispersou em várias frentes, o que ocasionou a interdição de vias importantes da cidade. Os manifestantes marcharam com destino à prefeitura, à Assembleia Legislativa, à Praça da Liberdade e às Avenidas Cristiano Machado e Antônio Carlos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.