As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em Brasília, jogo foi marcado por tensão e nervosismo

Torcedores chegaram a se ajoelhar durante as cobranças de pênaltis

Seleção Universitária

28 de junho de 2014 | 17h56

Torcedores chegaram a se ajoelhar durante as cobranças de pênaltis

 

Jorge Macedo – especial para O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA – Aproximadamente 32 mil pessoas torceram pela seleção brasileira no Taguaparque, onde está sendo realizada a Fan Fest do Distrito Federal. Durante duas horas, expressões de tensão e nervosismo tomaram conta do público. Com a vitória dramática nos pênaltis contra o Chile, a apreensão se transformou em euforia e a alegria deu o tom da festa.

Antes da bola rolar, os brasileiros estavam confiantes na vitória e classificação para as quartas de final. Juliana Lima, 34, apostava em uma grande exibição da seleção. “O Chile não me assusta, acho que venceremos por 3 A 0, dois do Neymar e um do Hulk”, afirmou. Cláudio Almeida, 23, também compartilhava o mesmo otimismo. “Acho que será um jogo difícil, mas o Brasil irá se classificar. Talvez vá para os pênaltis, o técnico deles é muito bom”, opinou.
Durante o jogo, opiniões divididas entre o público. Marcos Cardoso, 47, não gostou da apresentação da equipe no primeiro tempo. “A seleção parece muito nervosa, fez o primeiro gol e não soube administrar o resultado”, reclamou. Já Alberto Freire, 19, manteve as esperanças na vitória. “O gol do Chile foi um vacilo da zaga, é possível vencer”, afirmou.
Com o fim da prorrogação e início da disputa de pênaltis, alguns torcedores se ajoelharam para acompanhar as cobranças. Outros rezavam, enquanto uns poucos viraram de costas para não ver a decisão. “É muita emoção para mim, prefiro não ver”, disse Maria Ribeiro, 56.
Cada gol brasileiro só aumentava a certeza de que o Brasil avançaria até as quartas. As defesas de Júlio César passavam a confiança necessária para os jogadores e para a torcida, que subia o tom da vaia contra os chilenos. Na última cobrança dos adversários, com a bola na trave, a explosão de alegria tomou conta do público na Fan Fest.
“Foi muito sofrido, tenso demais. Acho que a seleção poderia ter matado o jogo no tempo normal, mas assim é mais gostoso”, declarou José Alves, 50. Ao fim da partida, o grupo Harmonia do Samba subiu ao palco para comandar a festa dos brasileiros, que agora esperam o adversário na próxima fase, que sairá do confronto entre Colômbia x Uruguai.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.