Governo de Pernambuco volta atrás e anuncia mudanças no plano de mobilidade
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Governo de Pernambuco volta atrás e anuncia mudanças no plano de mobilidade

Felipe resk

19 de junho de 2013 | 15h17

Das 14h à meia-noite, 120 ônibus vão partir da UFPE para a Arena Pernambuco

 

Secretário da Copa (à direita) espera que o serviço atenda até seis mil pessoas (Felipe Resk/Seleção Universitária)

 

Felipe Resk – Seleção Universitária – Especial para o Estado

RECIFE – Um dia após declarar que manteria o sistema de mobilidade urbana, duramente criticado na primeira disputa da Copa das Confederações na cidade, o governo de Pernambuco resolveu apresentar um plano de complementação do projeto.

Para o jogo desta quarta-feira, 19, quando Itália e Japão se enfrentam, um meio alternativo de acesso à Arena Pernambuco estará à disposição dos torcedores.

De acordo com a nova proposta, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na zona oeste da cidade, servirá de ponto de saída para 120 ônibus expressos, que farão um percurso de 19 km até o estádio. O desembarque ocorre nas imediações da BR-408, a 500 metros do palco da partida.

Em ponto facultativo, a UFPE disponibilizou gratuitamente as cinco mil vagas do estacionamento para atender ao público do jogo. A passagem do circular, que será vendida na hora, custa R$ 10. O circuito funciona das 14 h até a meia-noite.

A expectativa do governo é de que o serviço atenda até seis mil pessoas. Outras dez mil são esperadas no Parqtel, estacionamento para os que optam pelo veículo particular; e as 20 mil restantes, no metrô.

“A Copa das Confederações serve como evento teste e, por isso, o projeto está sempre aberto a ajustes, para que tudo funcione de acordo com o esperado na Copa do Mundo”, declarou Ricardo Leitão, secretário da Secopa-PE.

Vagões superlotados, tumulto nas plataformas e desordem nas filas foram parte dos obstáculos encontrados para assistir ao jogo entre Espanha e Uruguai no último domingo, 16. No entanto, com a descentralização da chegada e saída de pessoas, se espera diminuir o fluxo no metrô e, consequentemente, os problemas enfrentados no deslocamento.

Tudo o que sabemos sobre:

Copa das ConfederaçõesrecifeTransportes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.