Operação coíbe cobranças abusivas de taxistas no Rio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Operação coíbe cobranças abusivas de taxistas no Rio

Tiago Xavier

16 de junho de 2013 | 07h15

Agentes municipais auxiliam turistas que desembarcam na cidade para acompanhar a Copa das Confederações

 

Folheto distribuído aos turistas no aeroporto Santos Dumont (Tiago Nicacio/Seleção Universitária)

Tiago Nicacio – Seleção Universitária – especial para o Estado

RIO DE JANEIRO – Os turistas que desembarcarem nos aeroportos do Rio de Janeiro para acompanhar as partidas da Copa das Confederações têm uma nova ferramenta para denunciar abusos por parte de taxistas. Desde a última quinta-feira, está em vigor a “Operação Boas-Vindas”, promovida pela secretaria Municipal de Transportes (SMTR).

Nos setores de desembarque do Santos Dumont, dois agentes da CET-RIO, que trabalham das 5h30  às 23h, auxiliam os visitantes na hora de pegar o táxi. Antes de entrar no veículo, eles recebem um folheto com email e o número para possíveis reclamações.

“Por enquanto o tráfego de turistas está bem tranquilo. Temos registrado algumas reclamações sobre os preços cobrados, porque alguns motoristas estacionam aqui com o taxímetro ligado”, explica Luis Henrique, agente de trânsito da prefeitura.

Além dos agentes envolvidos na operação, o turista pode recorrer também às placas colocadas nos dois aeroportos. Nelas, estão listados os preços médios de cada corrida e as cooperativas credenciadas pela prefeitura.

 

Tabela com preços e cooperativas credenciadas no Galeão (Tiago Nicacio/Seleção Universitária)

De acordo com o secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, essa estratégia será adotada também durante a Jornada Mundial da Juventude, entre os dias 23 e 28 de julho, incluindo a Rodoviária Novo Rio.

“A Copa da Confederações terá público maior no aeroporto, enquanto a Jornada Mundial da Juventude terá público maior na rodoviária. Começamos pela características do público na Copa das Confederações: faremos uma avaliação para verificar se podemos ou não implantar esse serviço de forma permanente na cidade”, afirmou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.