Salvador ainda tem baixa ocupação e ingressos a serem vendidos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Salvador ainda tem baixa ocupação e ingressos a serem vendidos

Vitor Vill

28 de junho de 2013 | 17h52

Segundo sindicato hoteleiro, ocupação em Salvador para disputa do terceiro lugar deve ser a menor do torneio

Arena Fonte Nova, assim como a cidade de Salvador, não estará lotada para a disputa do terceiro lugar, neste domingo (José Patrício/Estadão)

Arena Fonte Nova, assim como a cidade de Salvador, não estará lotada para a disputa do terceiro lugar, neste domingo (José Patrício/Estadão)

Vitor Villar – Seleção Universitária – especial para o Estado

SALVADOR – A capital baiana não deve ser tão beneficiada como se imaginava ao receber a decisão do terceiro lugar da Copa das Confederações, que acontece na Arena Fonte Nova no domingo, 30, entre Uruguai e Itália. Restando pouco mais de um dia para a partida, o setor hoteleiro registra pouca ocupação e ainda restam ingressos a serem vendidos para o confronto.

De acordo com o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Salvador e Litoral Norte, Silvio Pessoa, a taxa de leitos reservados para o final de semana na cidade beira os 50% do total disponível, bem abaixo do que foi registrado nas duas partidas anteriores.

No dia 20, quando Uruguai e Nigéria se enfrentaram na Arena Fonte Nova pela primeira fase do torneio, a taxa de ocupação registrada nos hotéis de Salvador foi de 75%. No dia 22, data da partida entre Brasil e Itália, o número foi de 99%, um resultado incrível, segundo a avaliação do presidente. O último balanço para este final de semana foi realizado quando ainda não havia sido definido o confronto pelo terceiro lugar, e registrou 46%.

Mesmo com os adversários definidos, Silvio acha que não haverá grande crescimento no número de leitos reservados. “Deve ter um incremento sim, mas não será como se a seleção brasileira viesse jogar aqui. Uruguai e Itália já jogaram em Salvador nesse torneio, então são times que a população já assistiu e não tem mais tanto interesse. Se tivesse pelo menos a Espanha, seria bem diferente”, comenta o presidente do sindicato.

Ainda que a ocupação tenha sido relativamente baixa, o mercado hoteleiro da capital baiana pode comemorar a realização da Copa das Confederações. “Junho sempre é o pior mês do ano para os hotéis de Salvador, a média de ocupação é abaixo dos 45%. Nesse ano tivemos pelo menos um final de semana que registrou 99%, o que é algo a ser comemorado. Conseguimos movimentar a cidade com gente de outros estados”, explica.

O saldo também é positivo em termos de organização. “A gente antecipou todos os problemas que poderemos ter durante a Copa do Mundo e poderemos trabalhar em cima deles. Fora isso, também é importante para nós, que trabalhamos com o turismo, a visibilidade que a cidade e o Nordeste receberam durante o torneio”, ressalta Silvio.


Ingressos

Restando pouco para o início da partida – que começa às 13h do domingo -, ainda existem ingressos à disposição do torcedor. Segundo o último levantamento da Secretaria Estadual da Copa do Mundo (Secopa), pouco menos de 8 mil ingressos ainda estão à venda.

Segundo o mecanismo de compra no site da Fifa, no entanto, restam apenas ingressos para o setor mais caro do estádio, com valor de R$ 228, com alta disponibilidade, e para pessoas com deficiência, com média disponibilidade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.