As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Salvador terá novo protesto antes de decisão por terceiro lugar

Vitor Vill

29 de junho de 2013 | 20h40

Manifestantes definem caminhada até a Arena Fonte Nova para horas antes da partida entre Uruguai e Itália

Vitor Villar – Seleção Universitária – especial para o Estado

SALVADOR – Assim como aconteceu nos dias 20 – dia do confronto entre Uruguai e Nigéria – e 22 – data da partida do Brasil contra a Itália -, Salvador terá mais um protesto antes de um jogo pela Copa das Confederações na cidade. Neste caso, antes da disputa entre Uruguai e Itália pelo terceiro lugar do torneio, neste domingo, 30, às 13h, na Arena Fonte Nova.

Integrantes do Movimento Passe Livre Salvador definiram o novo protesto após uma reunião na tarde deste sábado, 29. A concentração está marcada para as 9h, na praça do Campo Grande. De lá, os manifestantes devem caminhar rumo ao acesso sul da Arena Fonte Nova, pela região conhecida como Vale dos Barris. A ideia é que a passeata chegue ao entorno do estádio horas antes do início da partida. Quase 22 mil pessoas já confirmaram presença no evento através do Facebook.

Segundo o estudante Marcos Botelho, que participou da reunião deste sábado, a expectativa dos manifestantes é utilizar a visibilidade da penúltima partida pela Copa das Confederações para atrair a atenção das autoridades às reivindicações do movimento. Segundo ele, os participantes estão cientes do risco de confronto com os policiais que mantém o perímetro de segurança estabelecido pela FIFA, mas garante que a ideia discutida no encontro é negociar para que alguns representantes possam se aproximar pacificamente do estádio.

Na última quarta-feira, 26, o Passe Livre Salvador divulgou uma carta aberta com as reivindicações do movimento. São 21 exigências, a maioria cobrando melhorias no transporte público da capital baiana. Entre os itens estão: redução da atual tarifa de ônibus, adoção do passe livre para estudantes, ativação e ampliação das linhas de metrô da cidade, criação do bilhete único e investigação das contas das empresas de ônibus e dos gastos públicos da construção do metrô.

O documento também traz o repúdio do movimento a outros temas, como os gastos do dinheiro público na organização de grandes eventos, como a Copa das Confederações, a criação do projeto conhecido como “cura gay” e a presença do pastor e deputado Marcos Feliciano na Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Histórico de conflitos

No dia 20, data da partida entre Uruguai e Nigéria, a primeira na capital baiana, cerca de 30 mil pessoas tentaram se aproximar da Arena Fonte Nova horas antes do apito inicial. Um grupo tentou chegar pelo acesso norte, através da Avenida Joana Angélica, e o outro pelo sul, através do Vale dos Barris. Em ambos os casos, houve confronto com a Polícia Militar na chegada ao perímetro de segurança estabelecido pela FIFA. O conflito durou mais de cinco horas, e se estendeu por pontos mais distantes do estádio, como o bairro da Ondina.

Dois dias depois, quando Brasil e Itália se enfrentaram em Salvador, um novo protesto aconteceu na cidade, este com rota oposta à Arena Fonte Nova. Um pequeno grupo formado por cerca de 500 pessoas, porém, se separou do principal e tentou se aproximar do estádio através do acesso sul. Houve um novo confronto, rapidamente disperso pela Polícia Militar, quando a partida já havia começado.

Na última quinta, 27, cerca de 1,5 mil manifestantes fizeram uma caminhada em direção à Prefeitura de Salvador para entregar a carta de manifestações ao prefeito ACM Neto. O político recebeu o documento e anunciou que duas medidas já serão tomadas:  a reativação do Conselho Municipal de Transporte e a divulgação da planilha de custos das contas das empresas que operam o sistema de transporte urbano. Uma reunião com representantes do movimento deve acontecer na semana que vem.