Tour de ciclista que percorre as cidades da Copa chega a Fortaleza
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tour de ciclista que percorre as cidades da Copa chega a Fortaleza

Seleção Universitária

20 de maio de 2014 | 15h46

Capital cearense foi a penúltima cidade visitada por Andy Smith

Ciclista inglês pedalando ao lado do gramado da Arena Castelão (Secopa/Divulgação)

 

Lyvia Rocha – especial para o Estado de S. Paulo

FORTALEZA – Percorrer mais de 6 mil quilômetros não é uma tarefa fácil. De bicicleta, esse trajeto fica ainda mais complicado. Porém, para o inglês Andy Smith, 35, essa foi a forma escolhida para conhecer melhor as 12 cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil.

Smith, que pediu demissão do emprego em uma empresa multinacional na cidade de Borough, Inglaterra, esteve na última semana em Fortaleza, a penúltima cidade visitada durante a sua missão.

Chegando na “Terra da Luz”, como é conhecida a capital cearense iluminada pelo forte sol, Andy visitou a Arena Castelão, que será palco de seis partidas do Mundial, incluindo o segundo jogo da primeira fase do Brasil contra o México. “Eu fiquei muito feliz e surpreso de ser reconhecido pelas pessoas. Estou sendo bem acolhido por todas as cidades em que passei”, comentou.

No meio de suas andanças, Smith aproveitou para curtir alguns jogos de campeonatos estaduais. No Pacaembu assistiu Corinthians e Bragantino, Flamengo e Vasco no novo Maracanã, e América-RN e Naútico. Além de um jogo da Taça Libertadores no Mineirão entre Cruzeiro e Universidad de Chile.

Projeto. A peregrinação denominada “#SambaCycle” faz parte do projeto “Smudger Samba Cycle – Charity Ride Brazil 2014” e teve início no dia 21 de janeiro em Porto Alegre. Com sua fiel companheira “Louis Good Luck (Luis Boa Sorte, o nome da bike referente ao ex-atleta português Luis Boa Morte, que atuou no futebol inglês), ele já passou por Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Salvador, Recife e Natal, antes de chegar à Capital. “A diversidade cultural, gastronômica e o tamanho do País me chamaram bastante atenção”, afirmou o inglês em entrevista aos jornalistas na Arena Castelão.

Fim da jornada. O fim da aventura de Smith termina em Manaus, cidade que recebe a estreia da Inglaterra, no dia 14 de junho, contra a Itália. Para chegar na capital do Amazonas, o britânico terá que pedalar mais 2,3 mil quilômetros. Como a sua média de velocidade é entre 80 e 100 km por dia, Smith deve chegar à cidade por volta do dia 12 de junho, data de estreia do Mundial, que acontece na Arena Corinthians, em São Paulo.

O inglês irá aproveitar e ficar na cidade para assistir na Arena Amazonas a partida de sua Seleção, mas afirmou que a Seleção Brasileira também está em um lugar especial no seu coração. “Vou torcer pela Inglaterra, até porque sou de lá. Mas torço para que o Brasil consiga ir longe no Mundial”, ressalta.

Smith só vai embora do País um pouco depois do final da Copa do Mundo, dia 17 de julho. Chegando na Inglaterra, o ciclista já sabe o que fazer: procurar um emprego e voltar a sua rotina habitual na cidade de Borough, local que deixou para trás durante esses meses.

Andy batendo bola no gramado da Arena Castelão (Secopa/Divulgação)

 

Contexto Social. A aventura não se resume à satisfação pessoal do britânico. Por meio de sua página na web, Andy arrecada fundos em benefício a instituições que possuem projetos de inclusão para crianças de baixa renda ou que sofrem com questões de violência, drogas, discriminação, deficiência física e mental e portadoras do vírus da AIDS.

No site do ciclista é possível ver vídeos, fotos e acompanhar em quais cidades ele está. Além disso, ele divulga para quais instituições de caridade doou dinheiro e faz questão de frisar que o valor arrecadado é repassado diretamente às instituições de caridade e que nada é usado para financiar suas viagens.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: