Últimos reparos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Últimos reparos

João Lacerda

13 de junho de 2013 | 21h13

Governo do Distrito Federal toma medidas para corrigir problemas que ocorreram durante evento teste final no mês passado

João Bosco Lacerda- especial para o Estado

Os brasilienses novamente terá que se adaptar a mudanças no funcionamento da cidade no próximo sábado, 15, para receber o jogo inaugural da Copa das Confederações. Vias serão fechadas, o entorno do estádio contará com grande efetivo policial e o transporte público será reforçado para que os torcedores possam acessar o estádio. O objetivo é evitar falhas que ocorreram durante o evento-teste final do Estádio Nacional Mané Garrincha, quando Flamengo e Santos jogaram no dia 26 de maio.

O principal problema, segundo os torcedores, foi o momento de entrada no estádio. Filas imensas se formaram nos portões de entrada por conta da demora na revista dos torcedores. “Chegou uma hora que eles pararam de revistar, se não o pessoal não entrava”, revela Glaycon da Costa, que foi acompanhar a partida com amigos. Cláudio Monteiro, secretário extraordinário  da Copa, afirma que os problemas não voltarão a ocorrer no jogo inaugural: “Desta vez, haverá sete pontos de acesso ao estádio, e não um só como no evento teste. Além disso, o fato de os ingressos da Fifa para o jogo serem individualizados facilitam o reconhecimento do torcedor”.

Torcedores reclamam da demora na entrada

do jogo entre Flamengo e Santos

Outro ponto problemático é o deslocamento até a arena. Assim como no evento teste, as vias adjacentes ao estádio serão fechadas para o deslocamento de veículos. Os estacionamentos mais próximos ficarão a cerca de um quilômetro do Mané Garrincha.

O transporte público será reforçado, com o metrô funcionando até 1h da manhã e cinco linhas especiais de ônibus, mas mesmo quem optar por esses serviços terá que caminhar pelo menos 600 metros  “O objetivo é fazer desta uma Copa verde e incentivar os familiares a caminharem até o jogo, além de garantir a segurança das pessoas que vão estar por lá”, explica o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT).

As medida, no entanto, causam dificuldade para idosos e pessoas com necessidades especiais. “Para esse público, foram vendidos ingressos diferenciados que, apresentados, garantirão acesso a um estacionamento ao lado do estádio”, diz Monteiro. Mesmo para aqueles que não declararam dificuldade de locomoção, estará disponível um ônibus especial que seguirá do Parque da Cidade até a arena, de acordo com o secretário.

A Coordenadoria de Comunicação para a Copa (ComCopa) explica que, já no jogo entre Flamengo e Santos, quem apresentasse a carteirinha de identificação para portadores de necessidades especiais teria acesso aos estacionamentos do estádio.

Governador Agnelo (centro) e secretário Cláudio

Monteiro (de gravata cinza) explicam planejamento

para o dia do jogo

Mesmo sem ter registrado nenhuma ocorrência grave no dia 26, a Polícia Militar dobrará o número de soldados dentro e nas cercanias do estádio. O contingente passará de 1.512 soldados para 3,1 mil. O Corpo de Bombeiros terá dez vezes mais servidores em relação ao evento teste: 2.039 no total.

O efetivo aumentará por conta da festa Brasília Joga Junto, na Esplanada dos Ministérios, a cerca de 3 km do estádio. O evento, que vai acontecer paralelamente ao jogo, contará com shows musicais e 9 telões para transmitir a partida aos torcedores que não conseguiram ingresso e tem uma estimativa de público de 300 mil pessoas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.