VLT em Fortaleza não ficará pronto para a Copa do Mundo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

VLT em Fortaleza não ficará pronto para a Copa do Mundo

Seleção Universitária

22 de maio de 2014 | 14h49

Governo do Estado diz que principal projeto do pacote de mobilidade urbana da cidade será entregue “o mais rápido possível”

VLT de Fortaleza deveria ter sido entregue em junho de 2013 (Seinfra/Divulgação)

Lyvia Rocha – especial para O Estado de S. Paulo

FORTALEZA – A grande obra de mobilidade urbana na cidade de Fortaleza, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), não ficará pronto a tempo para a Copa do Mundo. A afirmação foi feita na última quarta-feira, 21, pelo Governo do Estado do Ceará por meio da Secretaria de Infraestrutura do Estado do Ceará (Seinfra).

Inicialmente, o prazo para a conclusão da obra era junho de 2013. Agora, o Governo do Estado disse por meio de nota que o VLT será entregue “o mais rápido possível” para a população da cidade. Segundo a matriz de responsabilidade, a obra deveria ter tido início em maio de 2010 com o custo de R$ 265,5 milhões. Porém, o começo da construção do VLT só aconteceu em abril de 2012, com quase dois anos de atraso. Atualmente, o custo saltou para R$ 275,4 milhões.

Funcionalidade. O ramal do VLT terá 12,7 km de extensão em via dupla (11,3 km em superfície e 1,4 km em elevador), e cruzará 22 bairros da cidade fazendo conexão entre a estação Parangaba, zona leste, e o porto do Mucuripe, zona oeste. Durante o percurso, o veículo leve sobre trilhos passará por regiões consideradas de risco na Capital, como as comunidades do Trilho e Vicente Pinzón, ambos na zona leste.

Desapropriações. Na primeira versão, o projeto do VLT previa a utilização de áreas onde as desapropriações seriam de 3 mil imóveis. Após resistência de moradores do local, audiências públicas e um novo estudo fizeram o número de desapropriações cair para 2.185 imóveis.

Promessas. Foram nove as obras prometidas para o legado da Copa Mundo em Fortaleza. Contudo, apenas três serão entregues a tempo para o Mundial. A Arena Castelão – primeiro estádio da Copa do Mundo a fica pronto – é o único exemplo de data cumprida no prazo.

A Avenida Paulino Rocha, uma das vias de acesso ao estádio, terá BRT que facilitará a mobilidade urbana no local. Porém, faltando 21 dias para o início da Copa, a via não está totalmente concluída. De acordo com a Prefeitura, a avenida ficar pronta ainda para o Mundial. Terceira obra pronta, apesar do atraso de quase dois anos, a Avenida Alberto Craveiro teve um custo de R$ 22, 88 milhões iniciais e foi finalizada no valor de R$ 33,7 milhões, segundo dados do Portal Transparência da Copa.

Tudo o que sabemos sobre:

Fortaleza

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: