ARGENTINA PERDE CAMISA 10 PARA JOGO HISTÓRICO CONTRA ÁFRICA DO SUL

brunoromano

24 de agosto de 2012 | 14h56

Juan Martín Hernández treinava chutes com Federico Todeschini na última terça-feira quando sentiu uma “puxada” na perna. Em baixa com a torcida local, o camisa 10 era a esperança de um “algo a mais” dos Pumas, que estrearam no Rugby Championship este ano. A lesão foi confirmada pelo departamento médico no fim desta semana. Agora, em um dos jogos mais importantes da história argentina – contra ninguém menos do que a África do Sul –, a seleção entrará com Nicolás Sánchez, abertura de 23 anos, novato em jogos deste porte.

Sánchez é um jogador inteligente, rápido com as mãos e com as pernas e preciso nos chutes aos paus. Ainda que não tenha enfrentado uma terceira linha como a sul-africana, Sánchez deve dar conta do recado. O problema não é exatamente a sua atuação. Mas sim a sua proteção. Os fowards argentinos terão de trabalhar bem no jogo aberto e nos lances de disputa de bola, especialmente no scrum e line-out. Como, aliás, fizeram na semana passada, em Cape Town, no continente africano.

Já era esperado: o embate físico será o grande desafio dos Pumas neste ano. Para apimentar ainda mais o jogo, que marca a estreia da Argentina como local no Rugby Championship, terão de lidar com a ansiedade e a pressão de jogar em frente a sua torcida. Pelo menos Eusebio Guiñazú, hooker titular contra os Springboks, estará de fato em casa. O jogador de Mendoza deve liderar os fowards argentinos, justamente nos momentos chave do duelo.

O cenário será o Estádio Malvinas Argentinas, com 50 mil ingressos vendidos. O nome patriótico mostra bem como deve ser a reação da torcida. Mesmo em caso de um placar adverso no primeiro tempo, o que é bem possível, a tendência é que todos gritem para apoiar os Pumas.

Do lado dos sul-africanos, nenhuma chance de amolecer o jogo para os novatos no maior torneio de seleções do hemisfério sul. Craques como Jean de Villiers, capitão da equipe, Bryan Habana, Ruan Piennar e Morné Steyn estão confirmados. A força total dos Springboks tem um bom motivo: manter a invencibilidade. São 14 partidas seguidas em que os Pumas não vencem a África do Sul.

BAIXA NO SEVENS

Enquanto a Argentina comemora a introdução no Rugby Championship e assiste a um sonho de tornando realidade, uma má notícia foi confirmada. La Plata não será mais palco de uma das etapas da temporada 2012-13 do HSBC Sevens Series.

Seria a retomada da Argentina como país sede da maior competição do mundo de rugby Sevens, a modalidade que retornou para as Olimpíadas. O torneio estava previsto para outubro deste ano, entre as etapas de abertura, em Gold Coast (Austrália) e de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, ambas ainda neste ano.

O presidente da União Argentina de Rugby (UAR), Luis Castillo, explicou a decisão, com base nos investimentos e patrocinadores necessários para a empreitada. Vale lembrar que os Pumas receberão mais dois jogos do Rugby Championship neste ano, além do duelo deste sábado. All Blacks e Wallabies são os ilustres convidados.

“Foi uma decisão bastante difícil, já que estávamos muito empolgados com a oportunidade de sediar o HSBC Sevens Series. No entanto, os desafios logísticos foram significantes demais para nós e seria necessário oferecer um evento benéfico para todos, inclusive todos os patrocinadores. Gostaríamos de agradecer ao IRB pelo apoio e entendimento”, disse Castillo. O presidente finalizou: “Estamos agora focados em fazer com que nossa reestreia na próxima temporada (2013-14) seja de muito sucesso”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.