Six Nations em ritmo galês

brunoromano

16 de fevereiro de 2012 | 17h05

 

Os garotos de País de Gales não têm nenhuma dúvida de onde querem estar no fim do Six Nations: carregando o troféu de campeão, com o orgulho de conquistar mais uma “Triple Crown”. Tão importante quanto o caneco do torneio, este segundo título é entregue apenas para que vencer seus três adversários do Reino Unido. Para garanti-lo, portanto, terão de conquistar sua quarta vitória em 24 anos de duelos em Twickenham, o templo do rugby inglês. Um encontro imperdível.

Sendo assim, como Gales pode bater esta combativa, mas entediante e metódica seleção da Inglaterra? Com fé. Acreditando em três boas razões para o placar acabar positivo: a qualidade do jogo e vontade mostradas até aqui, a força que tiveram para chegar às semifinais da última Copa e a inteligência do treinador Warren Gatland, que estava no comando da equipe na última vitória em Twickenham, em 2008.

Gales não pode se esconder perante seu antigo rival. A Inglaterra vai tentar tirar a velocidade da partida. Ao fazer isso, deve cometer penais, com o risco de ir somando pontos contrários, devido a boa fase do chutador galês. Muito se fala sobre a qualidade da defesa inglesa, mas a verdade é que a Itália encontrou um caminho para furá-la e Gales não vai ter muito perdão para marcar os pontos que os italianos perderam.

Com este fim de semana de descanso, os dois times terão tempo para curar jogadores no departamento médico. A jovem sensação George North e o hooker Huw Bennet são as preocupação do lado de Gales. Enquanto isso, a Inglaterra espera encontrar Manu Tuilagi e Courtney Laws em boas condições – ambos estarão em ação pelos seus clubes, as vésperas de um esperado retorno à seleção.

Falando em machucados, Sam Warburton está fazendo de tudo para voltar e retomar seu posto de capitão, após deixar o campo no primeiro tempo da partida contra a Escócia. Ao contrário da confiança no título fácil esbanjada por Jonathan Davies, ex-camisa 10 galês, Warburton defende a ideia de que todo jogo contra Inglaterra é uma batalha sem igual – com um impacto somente sentido de verdade no dia seguinte.

Apesar de tudo, a Inglaterra vai assumir o papel de “zebra” com muita confiança. Até agora, venceram de forma apertada os elencos mais fracos da temporada e serão colocados a prova de verdade pela primeira vez. Estamos, portanto, a duas semanas do maior confronto do Six Nations.

Mas muitos estão subestimando o fato dos ingleses estarem jogando em casa. O estádio é imenso e a atmosfera bastante favorável. Pergunte a alguns garotos do Brasil 7’s que estiveram por lá. A torcida pode ser o 16º jogador inglês. Eles vão precisar.

Em clima épico, ingleses levaram a melhor em 2011

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.