Um treino para o Brasil

jakemangin

14 de dezembro de 2011 | 12h17

Foi mais por ter enfrentado um adversário fácil do que por ter apresentado uma performance perfeita que o Brasil conseguiu abrir uma margem tão grande contra os Emirados Árabes Unidos: 66 x 3, nesta terça-feira, pela Emirates Cup.

Nos primeiros 20 minutos, jogadores chave do time cometeram alguns erros, enquanto as duas equipes ainda travavam um jogo disputado, até o Brasil assumir a ponta com duas jogadas bem construídas para os backs Martin e Juli marcarem – abrindo 17 a 3.

Os 20 minutos seguintes também não foram perfeitos, mas a seleção conseguiu manter o ritmo e ir para o intervalo com uma vantagem confortável no placar. Os Emirados Árabes, por outro lado, só acertaram um penal em 40 minutos, parecendo mais um clube fora de forma, do que uma seleção que quer uma posição no ranking da IRB.

Com esse mesmo panorama começou o segundo tempo. A equipe local parecia cansada enquanto o Brasil, ainda que continuasse pontuando com ótimas jogadas, tem de admitir que foram cometidos erros nos chutes táticos – o que faz falta contra adversários mais fortes.

Assim, o Brasil continuava pontuando por meio de trys, aumentando a confiança do time no segundo tempo. Atletas experientes como Lucas Duque (Tanque) e Felipe Claro (Alemão) tomaram controle do jogo e colocaram os mais novos para correr, contra uma defesa bastante frágil.

O Brasil variou trys de backs e fowards na segunda etapa, resultado de um bom jogo em conjunto e muito apoio. Destaque para o camisa 6, Mateus Daniel, que deu sequência aos bons jogos que fez no Super 10, o Campeonato Brasileiro de Rugby, deste ano.

Um ponto negativo foram as conversões de chutes de Daniel Gregg. Embora estive inspirado com a bola nas mãos, guardando dois trys, desperdiçou muitas oportunidades, o que, em um jogo apertado, pode ser decisivo. O Brasil ainda tem Juli, artilheiro do Super 10, caso o treinador Toto Camardón ache necessário mudar o chutador.

Se o Brasil aprendeu muito com esse jogo? Não. Mas para a confiança pensando na próxima partida, a vitória foi imensurável. Qualquer atleta ou treinador pode confirmar que acreditar em seu potencial é uma das armas mais poderosas no esporte. Depois de ver Hong Kong vencer os Emirados por um placar semelhante, o Brasil entrará mais seguro e poderá bater os favoritos do torneio.

Brasil 66: Tries: Gregg (2), Du, Juli, Martin, Pedro, Diegão, Nativo, Croffi, Nick

Conversões: Gregg (5)

Penais: Gregg

Drop Goal: Tanque

 

UAE 3. Penal (1)

Na sexta-feira (16) o Brasil volta a campo para o último jogo, contra Hong Kong, às 10h (hora de Brasília). O Quênia, que perdeu para Hong Kong na rodada, enfrenta os Emirados, também na sexta.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Brasil Rugby

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: