2020 sem campeão!!!!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

2020 sem campeão!!!!

WSL cancela temporada e anuncia mudanças importantes

Thiago Blum

17 de julho de 2020 | 22h15

Ítalo Ferreira, campeão mundial em 2019 – foto: WSL

Já era esperado.

E a melhor decisão se confirmou.

Não dava mesmo para o Circuito Mundial voltar em meio à pandemia que segue espalhada nos 4 cantos do mundo.

Nesta sexta saiu o ‘veredicto’.

A World Surf League – que já tinha cancelado grande parte da temporada – anunciou o cancelamento de 100% da temporada.

Resumindo: em 2020 não haverá campeões mundiais de surfe.

Ítalo Ferreira e Carissa Moore terão que esperar um pouquinho mais para defenderem suas conquistas de 2019.

Até aí… paciência, certo?

Mas a WSL aproveitou a deixa para soltar outras novidades.

Mudanças pesadas no formato para as próximas edições da liga.

Vamos a elas.

Novo formato no WT, a divisão de elite 

1) Vai rolar mesmo um dia isolado para a definição dos campeões masculino e feminino.

É o que a entidade vai chamar de “The WSL Finals”.

Após o término da temporada de dez eventos da elite, as 5 mulheres e os 5 homens mais bem ranqueados, lutarão por seus respectivos títulos em um novo formato de “surf-off” (mata-mata) em uma das melhores ondas do mundo.

2) Mesmo número de etapas no CT masculino e feminino

Serão 10 eventos para todos pela primeira vez na história, com as mulheres se juntando aos homens para competirem novamente no Tahiti, o que não acontece para elas desde 2006.

3) Nova distribuição dos circuitos de acesso

O calendário será atualizado para criar temporadas distintas entre o CT e o Challenger Series (espécie de 2ª divisão).

A partir de 2021, o CS será disputado entre os meses de agosto e dezembro.

Já o Qualifying Series (agora passando a ser um tipo de 3ª divisão), vai de janeiro até o final de junho de 2021, determinando os classificados para competir no Challenger Series. Os pontos das etapas do QS disputadas em 2020 serão computados no QS de 2021.

Gabriel Medina em Pipeline – foto: WSL

E tem mais…

A temporada não será disputada integralmente durante um mesmo ano.

A largada passa a ser dada em dezembro no Havaí, no mesmos palcos onde aconteciam tradicionalmente a definição dos títulos: Maui para as meninas, Pipeline para os meninos.

Os campeões agora serão coroados no mês de setembro.

Confira como ficou o próximo calendário completo (todos os eventos estão sujeitos a alterações conforme as atualizações do COVID-19)

‘Shiseido Maui Pro’ / (feminino) – Maui, Havaí: 25 de novembro a 6 de dezembro de 2020

‘Billabong Pipeline Masters’ / (masculino) – Oahu, Havaí: 8 a 20 de dezembro de 2020

‘MEO Pro Portugal’ – Peniche, Portugal: 18 a 28 de fevereiro de 2021

‘Corona Open Gold Coast’- Queensland, Austrália: 18 a 28 de março de 2021

‘Rip Curl Pro Bells Beach’- Victoria, Austrália: 1 a 11 de abril de 2021

‘Margaret River Pro’ – West Australia, Austrália: 16 a 26 de abril de 2021

‘Oi Rio Pro’- Saquarema, Rio de Janeiro, Brasil: 20 a 29 de maio de 2021

‘Surf Ranch Pro’ / (piscina) –  Califórnia, EUA: 10 a 13 de junho de 2021

‘Quiksilver Pro G-Land’ – Indonésia: 20 a 29 de junho de 2021

Corona Open J-Bay: África do Sul: 7 a 19 de julho de 2021

‘Outerknown Tahiti Pro’ – Teahupo’o, Tahiti: 26 de agosto a 6 de setembro de 2021

‘The WSL Finals’ – local a ser definido: 8 a 16 de setembro de 2021

Carissa Moore, campeão mundial de 2019 – foto: WSL

Os ajustes no CT de 2021 começam pela inédita WSL Finals, provocando algumas mudanças de praias no calendário.

Por não ser a época ideal de ondas, o Championship Tour não terá mais o evento da França.

Mas a WSL está comprometida com a região e pretende fazer um importante evento do Challenger Series em Hossegor em 2021.

Novo corte no meio da temporada de 2022

Além dessas mudanças para 2021, um corte no meio da temporada será introduzido para o CT em 2022, para reduzir o número de competidores para a segunda metade do circuito, de 36 para 24 surfistas na categoria masculina e de 18 para 12 na feminina.

Os eventos poderão ser realizados nas melhores épocas de swell, em lugares como G-Land e J-Bay, visando assegurar que as estrelas do esporte possam se enfrentar com mais frequência.

Devido aos desafios do COVID-19 e do ano em transição em 2021, o corte não será implementado até a temporada de 2022, o que significa que todos os qualificados para o CT 2020 vão surfar uma temporada completa quando o Tour retornar no final deste ano.

Caroline Marks, vice-campeã mundial em 2019 – foto: WSL

WSL Countdown: eventos especiais serão realizados na Austrália, EUA e Europa

Como tentativa para levar ação aos fãs ainda neste ano – apesar do período de muitas restrições para viagens internacionais – a WSL deve realizar uma série de torneios regionais de exibição com atletas do CT,  nos EUA, Austrália, Portugal e França.

A famosa piscina da Califórnia, sediará um campeonato especial de equipes mistas no mês de agosto.

Na Austrália, Gold Coast e Margaret River terão eventos no formato “strike mission” nos meses de setembro e outubro.

Na França e em Portugal, acontecerá a Euro Surf Cup com estrelas regionais no final de setembro e início de outubro.

Ufa… ufa…

A longa parada fez os responsáveis trabalharem durante a quarentena.

Muitas ideias.

Espera e ansiedade no auge.

Pelo menos agora temos um horizonte a vista.

Vamos ver no que vai dar.

por @thiago_blum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: