Ataque goofy!!!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ataque goofy!!!

Brasileiros se preparam para os tubos da Cacimba do Padre

Thiago Blum

07 de fevereiro de 2020 | 11h13

Cartaz oficial do QS 5 mil de Fernando de Noronha – foto: Clemente Coutinho

O cartaz promocional dá a dica.

Pra se dar bem na etapa de Fernando de Noronha é preciso andar por dentro.

E o cara da foto sabe bem disso.

Excelente tube rider, Ian Gouveia é um dos destaques do ‘Oi Hang Loose Pro Contest’, QS 5 mil da WSL que rola a partir da próxima terça-feira nas ondas da Cacimba do Padre.

Pernambucano, Ian é praticamente um ‘vizinho’ do arquipélago mais surfe do Brasil.

Desde de 2000, acompanhou ‘in loco’ todas as etapas realizadas por lá.

Algumas como torcedor, de olhos atentos no pai, o craque Fabinho.

Ian Gouveia encaixado na Cacimba do Padre – foto: Daniel Smorigo / WSL

A partir de 2008, passou a competir.

E em 2009 fez o seu melhor resultado, um 5º lugar, barrado nas quartas de final pelo campeão Bruno Santos.

“Meu momento favorito. Tinha 15 ou 16 anos e foi espetacular, altas ondas, peguei altos tubos e fiz umas baterias animais, com caras muito fortes. A expectativa é sempre a melhor possível, é um lugar que gosto de ir, que mais me sinto em casa. É uma onda que eu tenho bastante conhecimento, por ir desde muito pequeno e porque sou fã de tubos”.

Mas Ian não é o único goofy (atleta que surfa com o pé direito na frente) contando os dias para o evento.

Wiggolly Dantas – foto: Zak Noyle / WSL

Campeão do ‘Volcom Pipe Pro’, no Havaí na semana passada, Wiggolly Dantas busca outro grande resultado para se manter entre os líderes do ranking da divisão de acesso.

Com o título em Pipeline, ele ocupa o 2º lugar na classificação geral, empatado com o americano Nat Young e atrás apenas do japonês Shun Murakami.

Guigui é mais um especialista em tubos e está pronto para para encarar as perfeitas esquerdas.

“Estou muito feliz em chegar em Noronha com esse ótimo resultado. É um lugar especial, onde já fiz 3º, já fiz 5º e é uma onda no Brasil de tubo, que gosto muito e parece até a praia que surfo de vez em quando lá em casa, o Félix (Ubatuba)”.

Wiggolly rasgando na Cacimba do Padre em 2010 – foto: Daniel Smorigo / WSL

Ex-integrante da elite, Wiggolly sabe que uma boa campanha em casa pode fazer a diferença quando tiver que voltar a rodar o mundo atrás dos pontos no WQS.

“Vencer em Pipeline era um sonho desde criança. Dediquei muito tempo naquela onda, muitos anos, foram muitas pranchas quebradas, muitas vacas (quedas) e muitos tubos. Valeu a pena. Venho treinando, me preparando para voltar bem ao CT. Fiquei no Havaí, abdicando de várias coisas, mas sei que quando se treina duro, o resultado vem. A vitória me deu o fôlego que eu precisava, dei uma acordada, acendeu aquela chama dentro de mim e vai ter mais resultados bons esse ano”.

Cacimba do Padre / Fernando de Noronha

O evento será realizado pela 15ª vez na ilha e abre a temporada QS na América Latina, com status de 5000 pontos para o campeão.

Nas três últimas edições realizadas em Noronha, as vitórias foram brasileiras.

Alejo Muniz, em 2011, Miguel Pupo, em 2012 e Jadson André, ano passado.

Os três estão confirmados no evento, assim como Yago Dora, vice em 2019, e Filipe Toledo, atual top 4 do WCT.

por @thiago_blum

informações e fotos: Fábio Maradei / FMA Notícias

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: