Brasileiros no Brasil
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasileiros no Brasil

Filipe venceu, Gabriel fez quartas. Mas...

Thiago Blum

27 de junho de 2019 | 13h01

“Foi bonita a festa, pá… fiquei contente…”

Os primeiros versos de ‘Tanto Mar’, do mestre Chico Buarque, se encaixam perfeitamente no que vimos no fim de semana em Saquarema.

Afinal, será difícil esquecer o bi de Filipe Toledo na lotada praia da Barrinha.

A subida para 3º no ranking da WSL renova a esperança de outro título mundial para o Brasil.

Mas será que ele está sozinho nesta briga?

Filipe Toledo, campeão pela 3ª vez no RJ – foto: WSL

Parafraseando Renato Russo… “ainda é cedo”.

Apesar da temporada estar praticamente na metade, tem muita gente embolada.

Uns favoritos, outros “intrusos”.

Kolohe Andino e Kanoa Igarashi estão 100% competitivos em 2019, mas confesso que ainda não os vejo com o caneco no fim do ano.

Jordy Smith sim.

E John John Florence nem se fala.

Filipinho encostou, Gabriel Medina subiu… mas Ítalo Ferreira caiu.

É do jogo… um duelo amarrado, complicado de prever.

Medina voou, mas parou nas quartas de final – foto: WSL

A verdade é que… desculpem…

Me “decepcionei” com nosso time na 5ª etapa da temporada.

Talvez tenha sido o único. Fiquei mal acostumado, vou fazer o que.

Éramos 14 no início do evento do masculino, um recorde na elite.

Mas “só” dois chegaram nas finais.

Tinha pensado numa avalanche verde e amarela…

Meu Fantasy no site oficial era 100% Brasil.

Yago Dora – foto: WSL

Vamos lá, com o que penso sobre o desempenho deles no Maracanã do surfe.

Peterson Crisanto – 33º lugar: Não se achou nas condições nada simples de Itaúna. Dos representantes fixos da elite, foi o único que não passou pela repescagem. Agora é o 21º do ranking.

Alex Ribeiro – 33º lugar: Depois da grande atuação que lhe valeu a vaga na triagem, ficou pelo caminho no round 2. Tem mais surfe para mostrar se garantir vaga pelo QS para 2020.

Adriano de Souza – 17º lugar: Foi o dono da 2ª comemoração mais vibrante da etapa. Surfou como se a lesão no joelho que o tirou por 8 meses das competições não tivesse existido. Fez notas altas e por pouco não tirou Filipe Toledo precocemente da rota do título.

Ítalo Ferreira – 17º lugar: Sem dúvida, a maior decepção do evento. Até pra ele mesmo. Foi surpreendido pelo português Frederico Morais. Tomara que não aconteça o mesmo que ano passado, quando venceu 3 etapas e ficou fora da briga pelo título por falta de regularidade. Caiu três posições e está em 6º no geral.

Willian Cardoso – 17º lugar: Mais um que não se encaixou. Somou pouco mais de 6 pontos e foi eliminado por Michael Rodrigues. Segue em 18º na temporada.

Jesse Mendes – foto: WSL

Krystian Kymerson – 17º lugar: Foi a surpresa em Saquarema, em todos os sentidos. Ganhou vaga no evento após a lesão de Mateus Herdy. Varou a repescagem, batendo Jordy Smith e mandando Adrian Buchan pra casa. Depois, era impossível bater John John Florence. KK é boa aposta no QS para chegar na elite ano que vem.

Yago Dora – 17º lugar: Era uma das minhas principais apostas. Fez um 9, melhor nota do primeiro dia, mas parou em Wade Carmichael. Com a derrota precoce , deslizou para a 24ª posição na tabela.

Caio Ibelli – 17º lugar: Mais um em quem apostei. Após o 3º em Margaret River, precisava de outro resultado forte. Perdeu para Michel Bourez e não saiu do 20º lugar.

Jadson André – 17º lugar: Começou o ano de forma excelente no QS, mas no CT ainda não conseguiu avançar para as oitavas. Precisa recuperar a vibe na água para fazer mais frente aos adversários. Foi derrotado por Medina em Saquarema e se mantém entre os piores no geral.

 

Gabriel Medina – foto: WSL

Michael Rodrigues – 9º lugar: Foi bem quando o evento rolou em Itaúna, mas parou nas direitas da Barrinha. Foi mais um brasileiro vítima do convidado Frederico Morais. Subiu para 16º no geral.

Jesse mendes – 9º lugar: Um dos melhores do nosso time nos 4 dias do evento. Tirou Conner Coffin no round 3 e ficou apenas 0,40 atrás de Julian Wilson nas oitavas. Subiu 4 posições no ranking.

Deivid Silva – 9º lugar: Outro que também fez duas ótimas fases no mata-mata. Esmigalhou o havaiano Seth Moniz e parou no inspiradíssimo Kolohe Andino. Com a segunda participação nas oitavas, pulou 4 postos na tabela e está em 18º.

Filipe Toledo imparável rumo ao bi nas direitas da Barrinha, em Saquarema – foto: WSL

Gabriel Medina – 5º lugar: Nõ chegou na final, mas fez a festa da galera. Eliminou Jadson André e Michel Bourez, antes de levar uma virada inesperada para Kolohe Andino. Subiu para 8º no ranking e deve aquecer as turbinas para a segunda metade da temporada.

Filipe Toledo – campeão: Sem palavras, só apalusos.

Silvana Lima – foto: WSL

Na chave feminina, tivemos 3 brasileiras em Saquarema e elas flertaram com as finais.

Taina Hinckel – 9º lugar: Entrou como convidada e mostrou que o lugar dela na elite é questão de tempo. Depois de uma estreia nervosa, passou pela repescagem vencendo a bateria contra a australiana Sally Fitzgibbons, que terminou com o título da etapa. Nas oitavas fez a tricampeã mundial Carissa Moore remar forte para seguir. Precisa de mais chances para ganhar a confiança necessária.

Silvana Lima – 5º lugar: Surfou com a classe e raça de sempre. Acabou eliminada pela australiana Keely Andrew, numa bateria de poucas ondas e notas baixas. Está em 14º no ranking.

Tatiana Weston-Webb – 5º lugar: Depois do vice em Margaret River, precisava de um resultado mais expressivo para se aproximar das líderes da corrida pelo título. Até ganhou duas posições com a chegada nas quartas de final, mas ainda está em 7º lugar.

Sally Fitzgibbons e Filipe Toledo, campeões do Oi Rio Pro – foto: WSL

Sally Fitzgibbons venceu mais uma vez no Brasil e com 4 resultados excelentes, vai vestir a lycra amarela de líder na próxima parada do tour. Carissa Moore e Stephanie Gilmore estão coladas na classificação geral.

Próxima parada: direitas clássicas de Jeffreys Bay, na África do Sul, a partir de 9 de julho.

Filipe Toledo venceu lá em 2017 e 2018.

Gabriel Medina também sempre vai bem por lá.

E Tatiana fez semifinal ano passado.

Façam suas apostas.

por @thiago_blum

 

 

Tendências: