Confinamento obrigatório
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Confinamento obrigatório

Quarentena vira 'BBB' dos atletas da WSL na Austrália

Thiago Blum

09 de março de 2021 | 11h11

reprodução Instagram / @gabrielmedina

Os campeonatos da elite do mundial voltam em abril.

E os surfistas não veem a hora de vestir a lycra de competição.

Mas antes de cair na água, a contagem regressiva é em horas, minutos, segundos.

Para o término da ‘reclusão’.

Por causa dos protocolos de saúde do governo australiano, os melhores surfistas do mundo estão passando por um processo inédito.

Todos que estavam fora do país aonde vão acontecer as próximas 4 etapas do masculino e feminino, viajaram juntos.

Brasileiros, sul-africanos, europeus, tahitianos e americanos fizeram testes para Covid-19 nos Estados Unidos. E de lá, seguiram em voo fretado para a terra dos cangurus.

O exame da americana Caroline Marks, número 2 do ranking de 2019, deu positivo e ela foi a única que não pôde embarcar.

Na chegada em Sydney, veio a 2ª etapa.

Divididos em dois hotéis, a turma terá que ficar 14 dias enclausurada, sem sair do quarto… literalmente.

Só quem viajou com marido/mulher e filho, pode dividir o apartamento.

reprodução Instagram / @filipetoledo

Aí, a paciência está sendo compartilhada em tempo real com quem está “aqui fora”.

Uma espécie de Big Brother Brasil para os fãs.

O tour pelo quarto foi um clássico, produzido quase por todos.

Assim como a foto da vista da janela, nem sempre agradável, já que eles estão hospedados no centro da cidade, longe das praias.

A rotina de treinos também não fica de fora.

E quando chega a comida, então?? Bora postar!!!

reprodução Instagram / @miguelpuposurf

As conversas com as famílias ajudam a manter a cabeça no lugar.

E tem a interação com os seguidores.

Perguntas e respostas ajudam a passar o tempo… e são fontes de informação.

Dá pra saber que pranchas eles levaram, a qualidade das ondas onde vão disputar as baterias e até entrar um pouco na intimidade dos craques.

Como a ‘loucura’ necessária que eles estão passando.

O campeão Ítalo Ferreira só precisou de um dia de confinamento para dar mortal e pirueta em cima da cama.

Manobras devidamente registradas, é lógico.

reprodução Instagram / @connercoffin

Até o fim da quarentena, atletas, acompanhantes, jornalistas e staff da WSL serão testados duas vezes.

Com tanto rigor, a propagação do coronavírus fica praticamente possível.

É por isso que a Austrália, aos poucos, está voltando à vida normal.

E que os eventos estão acontecendo por lá.

Foi estranho para os estrangeiros, por exemplo, olhar de dentro do ônibus, as pessoas circulando nas ruas já sem máscara.

Disciplina e respeito da população deram certo.

Bom… quando as duas semanas passarem, todos já sabem para onde ir.

Newcastle será a para inicial.

Depois Narrabeen, Margaret River e Rottnest.

É o recomeço do ‘Championship Tour’… que está logo ali.

por @thiago_blum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.