Façam suas apostas!!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Façam suas apostas!!

Ítalo? Gabriel? Filipe? Adriano? John John? Kelly? Quem leva o Pipe Masters 2020?

Thiago Blum

02 de dezembro de 2020 | 19h35

Ítalo Ferreira, campeão do Pipe Masters 2019 – foto: WSL

“A ansiedade acaba rolando, mas estou treinando fisicamente e psicologicamente, e isso me ajuda a relaxar”.

“Estou feliz e muito animado em voltar. Gosto de competir e senti falta dessa adrenalina”.

“Acho que cada etapa que eu participar irá passar pela cabeça uma parte da história da minha vida. Isso será mais uma dificuldade, manter a emoção controlada dentro da competição. Mas estou animado”.

As frases dos 3 brasileiros campeões do mundo definem bem a expectativa.

Ítalo Ferreira defende o título.

Gabriel Medina começa a busca pelo tri.

E Adriano de Souza inicia a despedida das competições oficiais.

Tudo no cenário ideal.

Na onda mais icônica do tour… ou do mundo, talvez.

Será a volta do tour para os homens.

Exatamente o inverso do que se tornou tradicional.

Pipeline sempre abrigou o desfecho, a coroação.

Agora,  Pipeline recebe a abertura da temporada.

Gabriel Medina – foto: WSL

Ítalo Ferreira chegou no Havaí há quase duas semanas: “Um pouco estranho. Havaí foi onde eu venci e fui campeão. Mas começar em Pipe já de primeira me deixa confiante. Treinei o ano inteiro e espero ter a chance de colocar tudo em prática e me sair bem como nos últimos eventos”.

Adriano de Souza já está por lá há dois meses: “Quando estou competindo quero sempre dar o meu melhor. Estou treinando, pegando altas ondas, fazendo uma recuperação no corpo e muita preparação física. Adoro surfar. Adoro estar no mar. Me sinto pronto para o início do campeonato. Foi uma aposta, já que muitos achavam que não ia ter competição, mas eu sempre acreditei.”

Gabriel Medina foi o último dos 3 a desembarcar no arquipélago: “Vai ser um novo calendário e farei de tudo pra ir bem e alcançar meus objetivos. Vamos pra cima com toda a determinação de sempre”.

John John Florence – foto: WSL

As baterias do round 1 estão definidas. Só faltam os nomes dos trialistas.

  1.  Kanoa Igarashi (JPN) x Conner Coffin (EUA) x Connor O’Leary (AUS)
  2. Kolohe Andino (EUA) x Adrian Buchan (AUS) x Deivid Silva
  3. Filipe Toledo Peterson Crisanto x Morgan Cibilic (AUS)
  4. Jordy Smith (AFS) x Yago Dora x convidado
  5. Gabriel Medina x Frederico Morais (POR) x convidado
  6. Ítalo Ferreira Jadson André x convidado
  7. John John Florence (HAW) x Wade Carmichael (AUS) x Ethan Ewing (AUS)
  8. Kelly Slater (EUA) x Caio IbelliMiguel Pupo
  9. Owen Wright (AUS) x Griffin Colapinto (EUA) x Alex Ribeiro
  10. Jeremy Flores (FRA) x Ryan Callinan (AUS) x Jack Robinson (AUS)
  11. Julian Wilson (AUS) x Jack Freestone (AUS) x Matthew McGillivray (AFS)
  12. Seth Moniz (HAW) x Michel Bourez (TAH) x Adriano de Souza

Adriano de Souza – foto: WSL / Smorigo

Além da novidade da largada em Pipe, o próximo campeão vai sair em um formato diferente.

As finais serão em Trestles, na Califórnia., entre 8 a 17 de setembro.

Os títulos mundiais masculino e feminino serão decididos em uma competição de um dia, com os 5 melhores dos rankings feminino e masculino.

O mais experiente do time verde e amarelo gostou da novidade.

“Acho que em termos de marketing o novo formato é interessante. Até o último campeonato teremos atletas lutando para chegar no evento final. Eu espero estar lá. Trestles é uma onda fantástica, e tinha ficado triste quando deixamos de competir lá. Será uma espécie de “benvindo de volta”, fechou Adriano.

por @thiago_blum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.