Festa do Longboard no paraíso!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Festa do Longboard no paraíso!

Chloé Calmon e Carlos Bahia campeões brasileiros em Jericoacoara

Thiago Blum

13 de dezembro de 2020 | 19h20

foto: Lima Júnior

Foi um fim de semana daqueles.

Quem conhece Jericoacoara, sabe.

Passar dias por lá, é reencontrar a paz.

Mas para os melhores longboarders do país, os dias em um dos pontos mais procurados do litoral do Ceará foram de batalhas.

Duelos valendo o título brasileiro da modalidade.

O ‘VI Jericoacoara Cultura Longboard Surf Festival’ foi uma festa dos pranchões.

Chloé Calmon (RJ) – foto: Lima Júnior

Sol forte.

Visual incrível.

E ondas ideais.

Foi assim que Chloé Calmon e Carlos Bahia celebraram a conquista do nacional de 2020.

A primeira final a entrar na água foi a feminina.

A carioca dominou a bateria, caprichou no estilo e na técnica para arrancar as maiores notas.

Chloé foi carregada nos braços da torcida aos gritos de “Rainha de Jeri”.

Vice-campeã mundial e medalha de ouro no Pan de Lima em 2019, ela levou o troféu de campeã pelo segundo ano consecutivo.

Chloé Calmon (RJ) – foto: Lima Júnior

“Jericoacoara é um lugar muito especial. As ondas, as pessoas, os visuais paradisíacos, tudo é perfeito. Estou muito feliz de ter vencido novamente aqui, E gostaria de parabenizar esse evento incrível em um ano tão estranho para o esporte mundial. Para nós atletas, foi um sopro de esperança em meio ao caos”, declarou Chloé.

A potiguar Marina Carbonel ficou em 2º. No round 1, ela fez o maior somatório da competição, 19.50 de 20 pontos possíveis. Mas não conseguiu repetir o feito na decisão.

A pernambucana Atalanta Batista e a carioca Jasmim Avelino completaram o pódio.

Carlos Bahia (SP) – foto: Lima Júnior

Na final masculina, dois surfistas da casa.

Mas o título foi para São Paulo, apesar do sobrenome do campeão.

Em um confronto apertado, Carlos Bahia superou os locais Antônio Victor e Yam Wisman, além do capixaba Alexandre Escobar.

Terceiro Brasileiro dele na carreira.

“Estou muito feliz e emocionado! Esse ano foi muito difícil e dei o meu melhor nesse evento. É o terceiro ano que venho para Jeri e durante esse tempo estudei as condições dessa onda, para desenvolver pranchas específicas . Deu certo e agora é só agradecer, no ano mais louco para o esporte mundial”, afirmou Bahia.

Carlos Bahia (SP) – Lima Júnior

Vitinho lutou até o último segundo buscando a virada.

Não conseguiu, mas comemorou muito o vice.

Alexandre Escobar levou o bronze e Yam Wisman ficou em 4º.

Com apenas 17 anos, Wisman saiu do evento como a grande revelação no longboard profissional.

por @thiago_blum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.