Filipe bate na trave!!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Filipe bate na trave!!

#go77 termina em 2º em Bells Beach. John John vence e assume a liderança do ranking

Thiago Blum

28 de abril de 2019 | 16h28

JJF: campeão do Rip Curl Pro Bells Beach – foto: WSL

Foram 16 anos de espera para um havaiano voltar a tocar o sagrado sino.

O saudoso Andy Irons em 2003, havia sido o último a vencer a etapa mais tradicional do tour.

De olho no 3º título mundial, para empatar em conquistas justamente com o ídolo do passado, John John Florence quebrou o tabu e assumiu a liderança do ranking.

foto: WSL

Fazia tempo que o Brasil não ficava no lugar mais alto do pódio.

Mas o time verde e amarelo foi bem demais nas direitas de Bells Beach e Winkipop.

Filipe Toledo surfou com a velocidade e categoria até a decisão.

Gabriel Medina e Ítalo Ferreira também chegaram no dia final, e como Filipinho, com certeza vão brigar pelo título da temporada.

Filipe Toledo, vice-campeão em Bells Beach – foto: WSL

Um por um, seguem as análises do time brasileiro na 2ª etapa do ano.

Jesse Mendes – 33º lugar: Foi o único que não achou boas ondas e caiu antes das baterias homem a homem.

Michael Rodrigues – 17º lugar: Surfou com agressividade e técnica nas primeiras fases e só parou no round 3 em um duelo equilibradíssimo diante de Peterson Crisanto. Foi eliminado por 0,3.

Caio Ibelli – 17º lugar: Estava bem mais solto do que na etapa de abertura da temporada. Se fizesse uma segunda onda de qualidade, teria eliminado Filipe Toledo.

Yago Dora – 17º lugar: Mais um que teve que amargar derrota diante de um compatriota. No dia que o swell chegou com tamanho, mostrou abordagem discreta e ficou bem atrás do desempenho de Willian Cardoso.

Jadson André – 17º lugar: Foi o azarado da vez. Depois de deixar Jeremy Flores e Owen Wright pra trás na fase de classificação, teve de se deparar com o impossível John John. O havaiano somou acima dos 17 pontos e abreviou a campanha do potiguar.

Medina foi outro brasileiro vencido pelo campeão da etapa – foto: WSL

Peterson Crisanto – 9º lugar: O ‘Urso’ de Matinhos não se intimidou. Passou muito bem nas primeiras baterias e botou pra baixo nas bombas que chegaram em Bells nas oitavas de final. Fez bateria parelha diante do 11x campeão Kelly Slater, que levou a disputa na base da experiência.

Deivid Silva – 9º lugar: Mais um estreante que mostrou não ter chegado à elite por acaso. Despachou o local Wade Carmichael e só não chegou nas quartas de final por uma infelicidade. Depois de liderar todo o confronto diante do australiano Jacob Willcox, teve a prancha quebrada numa onda enorme que tomou na cabeça. Perdeu minutos decisivos e acabou levando a virada.

Willian Cardoso – 9º lugar: Era um dos meus favoritos. Mas teve pela frente um endiabrado Gabriel Medina nas oitavas. O bicampeão mundial fez duas notaças nos primeiros minutos e o Panda não conseguiu se encaixar.

Ítalo Ferreira: pancadas no lip e um caldo histórico – foto: WSL

Ítalo Ferreira – 5º lugar: O mais corajoso do nosso time. Defendeu o título conquistado em 2018 com a raça e as manobras fortes de sempre. Nas oitavas de final contra o francês Jeremy Flores, levou um caldo histórico após atacar com tudo a junção no inside. Nas quartas, começou atrás do placar, cometeu interferência e não conseguiu superar o sul-africano Jordy Smith.

Gabriel Medina – 5º lugar: Sem dúvida, teve o seu melhor desempenho em Bells. Atropelou a concorrência com uma linha forte e limpa. Nas quartas de final fez o duelo esperado há meses por todos. Uma batalha onda a onda contra o rival John John Florence. Qualquer um poderia ter vencido…  pra muita gente, o brasileiro mereceu mais que o havaiano, mas não para os juízes.

Filipinho conseguiu seu melhor resultado em Bells – foto: WSL

Filipe Toledo – vice-campeão: Teve mais uma grande atuação. Quando o campeonato rolou em Winkipop, colocou velocidade e pressão nas manobras. E quando o mar ficou gigante, mostrou para todo mundo que é capaz de enfrentar qualquer tipo de condição. Fez linhas precisas e poderia ter vencido. Filipe tinha a prioridade, mas o mar deu uma trégua nos últimos minutos  da final. A série até chegou, o camisa 77 fez o que tinha que fazer, quebrou… masa onda era pequena e a nota ficou abaixo do necessário.

John John e Courtney Conlogue: campeões em Bells – foto: WSL

No feminino, a americana Courtney Conlogue bateu Malia Manuel e tocou o sino pela 3ª vez na carreira e pulou para a terceira posição no ranking.

A jovem Caroline Marks segue na ponta da classificação geral.

Tatiana Weston-Webb não foi bem, foi eliminada nas oitavas, perdeu 3 posições e ocupa o 8º lugar.

O próximo destino para meninos e meninas é a paradisíaca Bali.

A partir do dia 13/5, o compromisso será nas direitas perfeitas de Keramas.

Ano passado, Ítalo Ferreira e Lakey Petersen levantaram o caneco.

por @thiago_blum

Tendências: