Ítalo Ferreira toca o sino em Bell’s Beach
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ítalo Ferreira toca o sino em Bell’s Beach

Brasileiro derrota tricampeão mundial Mick Fanning na decisão e assume a liderança do ranking

Thiago Blum

05 de abril de 2018 | 01h13

Após título de Adriano de Souza em 2013, Ítalo Ferreira recoloca o Brasil no alto do pódio em Bell’s

Deu Brasil no evento mais tradicional do calendário!!!!!!

Surfar em Bell’s é privilégio. Vencer a etapa, um feito para pouquíssimos.

Um caminho traçado com rasgadas fortes e muita raça. Uma performance de campeão mundial durante toda a competição, até tocar o sino do troféu mais emblemático do circuito mundial.

Ítalo Ferreira encarou as direitas como se estivesse no quintal de sua casa em Baía Formosa, no Rio Grande do Norte. Derrubou cada adversário sem deixar dúvidas: Filipe Toledo, Ezequiel Lau, Gabriel Medina… até o último confronto, justamente diante do maior ídolo australiano e em semana de festa e reverência.

Tricampeão mundial Mick Fanning se despede das competições com vice-campeonato em Bell’s Beach

A despedida de Mick Fanning das competições já estava anunciada. Todos esperando uma aposentadoria com título, e ele não decepcionou. Chegou na decisão, deixou escapar por muito pouco o 5º sino de sua galeria, mas outra vez encheu os australianos de orgulho. O longo abraço no brasileiro ainda no mar, foi mais um gesto de grandeza e respeito do tricampeão mundial.

Mick Fanning abraça o campeão Ítalo Ferreira. Emoção e respeito após o 1º título do potiguar no WCT

Com a primeira conquista na carreira, Ítalo Ferreira pulou para a co-liderança do ranking e quem conhece a fome do potiguar, não duvida: ele vai atrás do título mundial.

E como foram os outros brasileiros em Bell’s?

Ian Gouveia – Ainda não soltou seu melhor surfe em 2018 e parou pela segunda vez na repescagem

Yago Dora – Um pouco tímido na divisão de elite. Sem soltar as manobras, perdeu para Conner Coffin por apenas 0,1 e terminou de novo em 25º lugar

Caio Ibelli – Foi uma das vítimas dos confrontos entre brasileiros. Perdeu para Willian Cardoso e ficou muito longe de repetir a campanha do vice-campeonato em 2017

Michael Rodrigues – Outro eliminado em um duelo verde e amarelo. Depois das quartas de final na etapa de abertura em Snapper Rocks, não passou do round 2

Thomas Hermes – Após o terceiro lugar na estreia no WCT, não se encontrou nas direitas e acabou eliminado pelo australiano Wade Carmichael

Jesse Mendes – Chegou na fase 3 pela primeira vez na temporada, mas parou no gigante Owen Wright

Adriano de Souza – Saiu de Bell’s decepcionado. Fez confronto equilibrado no round 3 e acabou eliminado por Conner Coffin em uma decisão duvidosa dos juízes

Willian Cardoso – Provou mais uma vez que merece estar na elite. O estilo com manobras pesadas do Panda só não foi além da 13ª colocação porque encontrou Gabriel Medina pelo caminho

Filipe Toledo – Deu show como sempre. Mas na bateria mais comentada da competição, não conseguiu parar Ítalo Ferreira

Gabriel Medina – Disse que depois de vários anos, enfim entendeu a onda de Bell’s. Chegou na semifinal, conseguiu o melhor resultado da carreira por lá e pulou para o 7º lugar no ranking

Silvana Lima termina em 3º em Bell’s Beach e pula para o 7º lugar no ranking mundial

Brilho verde e amarelo também no feminino. Silvana Lima foi até a semifinal e ocupa a 7ª posição na temporada após duas etapas. Filha de brasileira com um havaiano, Tatiana Weston-Webb ficou com o vice, atrás da australiana Stephanie Gilmore, nova líder do ranking.

Próxima parada do tour: Margaret River, de novo na Austrália, a partir do próximo dia 11.

Aloha!!!!!!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: