“Home” ou “Anywhere Office”?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“Home” ou “Anywhere Office”?

Estudo mostra as novas relações com o trabalho à distância

Thiago Blum

29 de janeiro de 2021 | 20h08

O home office passou a ser quase que um parceiro de profissionais ao redor do mundo.

Trabalhar em casa em tempos de pandemia, virou rotina.

Mas será que o dia-a-dia de quem não precisa ir ao escritório, além de funcional e prático, não pode ser também prazeroso?

A cerveja ‘Corona’ acaba de lançar um relatório de tendências sobre as novas relações com o trabalho/home office.

E apresenta o conceito de ‘work with a view’ – trabalho com uma vista.

Segundo o estudo, ao longo dos quase 10 meses de distanciamento social, muitas pessoas que adotaram o trabalho remoto saíram das grandes cidades rumo à praia ou ao campo.

E esse movimento deve continuar.

De acordo com um levantamento da ‘Bossa Nova Sotheby’s’, a procura por casas no campo e no litoral de São Paulo cresceu mais de 600% em 2020.

Outro resultado, alcançado pela consultoria ‘Cushman & Wakefield’, mostra que 73,8% das empresas brasileiras pretendem instituir o home office como prática definitiva no Brasil após a pandemia.

Então… por que não dar o próximo passo, adotando o Anywhere Office?

A ideia da nova campanha da ‘Corona’ é convidar o público que trabalha à distância, para viver essa experiência com mais qualidade de vida, mostrando que é possível cumprir as funções em qualquer lugar, inclusive com os pés na areia.

Ou seja, além da mudança no mercado de trabalho, o turismo, tão impactado ao longo de 2020, também continua ganhando novos contornos ao oferecer uma opção de distanciamento em meio à natureza.

“Com o Anywhere Office, hoje consigo viajar pelo Brasil enquanto trabalho remotamente. E, em cada cidade paradisíaca que fico, consigo aproveitar as manhãs para fazer uma trilha ou conhecer uma atração turística. Isso aumentou muito minha produtividade, porque começo a trabalhar tendo acabado de viver uma experiência diferente”, conta Henrique Tsunoushi, analista de performance digital de uma renomada empresa de investimentos que saiu de São Paulo e hoje está em Alter do Chão (PA). Ele e outros profissionais de diversas regiões do país que já adotaram a prática, contam suas histórias no site da campanha.

“Nós já vínhamos acompanhando a tendência do nomadismo digital, mas a adesão expressiva ao trabalho remoto em 2020 acelerou essa mudança no conceito de espaço de trabalho. Para algumas profissões, isso era o mesmo que estar em um escritório, mas hoje pode significar simplesmente trabalhar em um espaço confortável, com sinal de internet e energia elétrica”, explica João Pedro Zattar, gerente de marketing de Corona. “Um dos efeitos desse comportamento é a movimentação econômica gerada por essa modalidade de turismo – ainda que as pessoas permaneçam isoladas e seguindo os critérios de segurança, isso se reflete em investimentos em transporte, hospedagem, alimentação e uso de serviços locais que acontecem em mais momentos ao longo do ano, não apenas nas altas temporadas”.

Além disso, a marca ainda vai dar uma ajudinha para que alguns consumidores pelo Brasil possam viver essa experiência.

Uma promoção que vai sortear uma semana de transporte, hospedagem – dentro das regras de distanciamento social – e alimentação para quem quer trabalhar inspirado pelos paraísos naturais brasileiros.

Os escritórios adaptados ficam em destinos como Ilhabela (SP), Praia do Rosa (SC) e Trancoso (BA).

por @thiago_blum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.